Foto: Lucas Redecker

Os dois traumatologistas que realizaram a operação na perna errada de uma idosa em Novo Hamburgo, na região do Vale do Sinos, no RS, alegaram ter seguido o boletim médico da mulher de 87 anos, conforme afirma o delegado Nauro Marques, responsável pelo caso. Os dois prestaram depoimento nesta terça-feira (31) na 1° Delegacia de Polícia do município. Segundo eles, o equívoco estava no documento.

Internada por 12 dias no Hospital de Novo Hamburgo devido a uma fratura no fêmur da perna esquerda, a aposentada Maria Nunes da Silva, de 87 anos, passou por uma cirurgia para reconstituir o osso com uma placa de platina da perna direita no dia 6 de julho. Porém, a perna a ser operada era a esquerda.

Leia também:  Uma das vítimas baleada dentro de escola fica paraplégica

“Eles alegaram que estava escrito no boletim que seria a perna direita (a ser operada), e ela se queixava de dores na perna direita. Como não havia radiografia, eles realizaram a operação na perna direita”, disse o delegado.

O delegado disse ter visto o documento, que apresentava uma rasura. “Havia a letra D, e sobrepuseram um E”, afirmou Nauro, que cogita que a alteração tenha sido feita após a realização da cirurgia. Ainda prestarão depoimento outros dois médicos, o anestesista da operação e o autor do boletim médico. O delegado também aguarda o laudo médico do caso.

Após o procedimento equivocado, uma nova operação foi realizada no dia 7 de julho, desta vez na perna esquerda. Já no dia 18, Maria voltou a ser internada na mesma instituição com suspeita de trombose na perna direita e problemas respiratórios. Segundo a assessoria de imprensa do hospital, a paciente já teve alta do tratamento vascular, mas ainda não se recuperou de uma infecção respiratória. Ela voltou para casa na última segunda-feira (27), mas segue recebendo cuidados médicos no domicílio.

Leia também:  Jovens que participavam de baile funk são agredidos com cassetes por policiais militares
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.