O leilão eletrônico adquiriu popularidade no Brasil no início do ano 2000 e com o crescimento da era ponto-com passou a conquistar cada vez mais espaço entre compradores de todos os cantos do país.

No âmbito do judiciário, os leilões judiciais eletrônicos começaram em 2003 timidamente e hoje em dia estão rapidamente sendo adotados pelos juízes e tribunais de todo o Brasil. O leilão eletrônico é público, acessível a qualquer pessoa, jurídica ou física através da internet.

No Mato Grosso do Sul a maioria dos juízes está adotando o leilão eletrônico. Por exemplo, na cidade de Sonora o Dr. Pedro Henrique Freitas de Paula, juiz de direito da Vara Única da Comarca de Sonora/MS, determinou o leilão de uma fazenda com 589 hectares em virtude de execução de título extrajudicial.

Leia também:  Atriz Solange Couto pede ajuda nas redes sociais para localizar carro roubado

Os interessados devem se cadastrar no site www.superbidjudicial.com.br e participar do leilão ofertando lances via internet até o dia 03/09 às 15h30min, data de encerramento da 2ª praça do leilão. O lance inicial é de R$1.768.305,00 e está depreciado em 60% em relação ao valor de avaliação.

O leilão judicial é a alienação de bens em juízo, originada de um processo cível, trabalhista ou criminal. Esses bens são dados em garantias de execuções cíveis, podem ter sido apreendidos em ações criminais, podem ser de falências e recuperações judiciais, bem como de reclamações trabalhistas.

Em razão destes tipos de ações, cada leilão tem uma regra específica, as quais são detalhadamente explicadas nas condições de venda e pagamento e nos editais.

Leia também:  "O homem correu atrás de nós cheio de fogo" relata criança que sobreviveu

Dependendo ainda do tipo de ação, os leilões judiciais podem ser realizados em praça única ou em 2 praças, de acordo com a determinação do juízo. Caso o bem não seja vendido em primeira praça, pelo valor da avaliação, é aberta nova oportunidade de lance com valor de venda geralmente a 60% do valor de avaliação.

O site oferta hoje cerca de 170 imóveis em leilões judiciais e, apesar da exibição ser bastante detalhada é importante que o interessado, no caso de alguma dúvida, consulte um advogado antes de ofertar seus lances, visando um maior esclarecimento sobre eventuais riscos.

 

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.