Após um acordo com o Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão a Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais decidiram encerrar a greve que ocorria desde o dia 21 de agosto.  Apesar de a entidade avaliar que o acordo não atendeu as expectativas, a Federação entendeu que alguns objetivos foram alcançados por isso houve o encerramento da manifestação.

Com o acordo ficou definido que o reconhecimento do nível superior para o cargo de policial rodoviário, o fim limitador de 50% para a progressão na carreira e alteração dos nomes das classes da carreira para 1ª, 2ª, 3ª e classe especial, além do aumento linear de 15,8% aplicados em três anos.

Por meio de nota da assessoria, o presidente da Federação, Pedro Cavalcanti, apontou que todos os policiais rodoviários que estavam paralisados retomaram as atividades normais hoje. “O governo não realizou uma negociação nada amigável e isso prejudicou não só a nossa, mas todas as mesas de negociação. O índice de aumento não atendeu nossa expectativa, mas conseguimos diversos outros objetivos que vínhamos pleiteando há muito tempo e isso foi fundamental para a nossa tomada de decisão, sendo o principal deles o reconhecimento de nível superior para o cargo de PRF”, afirmou Cavalcante.

Leia também:  Moradores do Colina Verde e Sagrada Família reclamam da falta de água nos bairros

Mesmo com o fim da greve, a Federação aponta que continuará em busca de outras reivindicações, como a definição de data-base para o servidor público federal e política salarial permanente de reposição inflacionária; cumprimento por parte do governo dos acordos e protocolos de intenções firmados; contra reformas que retirem direitos do funcionalismo público federal; reajuste de benefícios como aumento dos auxílios creche, saúde (per capta), transporte, e alimentação; retorno dos adicionais e outros.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.