Foto: Agora MT

O Grupo de Apoio ao Paciente Com Câncer foi criado no início do ano com o objetivo de motivar a troca de experiências entre os pacientes. Durante os encontros realizados toda terça-feira, os pacientes tiram suas dúvidas sobre o tratamento, falam de suas angústias e aproveitam a ocasião para se informar sobre uma série de mitos que surgem sobre a doença.

As reuniões são acompanhadas pelos psicólogos da Santa Casa, que além de fornecer todo apoio e informações, ainda promovem ações educativas entre os pacientes. “Esse é um momento que eles se encontram para trocar forças na luta contra a doença”, afirma Marisa Rosa, psicóloga que acompanha o Grupo.

A iniciativa para a criação deste projeto partiu de uma paciente que luta contra um câncer no estômago, M.F.J. afirma que somente quem vive uma situação como essa tem noção das dificuldades de enfrentar um tratamento.

Leia também:  Tapete colore Rondonópolis para a celebração do Corpus Christi

“Depois do terremoto emocional do diagnóstico e de tomarmos consciência da doença, vem  uma fase de torpor da qual a pessoa espera em vão acordar.Nesse período, não raramente, surgem questionamentos e crises existenciais e por fim a depressão, da qual muitos só se recuperam depois de longos períodos e com a ajuda de profissionais e medicamentos. Tristeza, apatia, sensação de vazio, de não mais fazer parte de um grupo ou sociedade, e um sofrimento interior insuportável, sem causa aparente,  essa fase afeta os pensamentos, sentimentos, sistema imunológico e o comportamento da pessoa com câncer”, afirma M.F.J.

Os amigos em tratamento se reúnem toda terça-feira das 14h às 16h na Santa Casa de Misericórdia de Rondonópolis.

Leia também:  Prefeitura paga salário, metade do 13º e injeta mais de R$ 20 milhões na economia local

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.