Foto da assessoria

Representantes da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Mato Grosso (ADUFMAT), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso (IFMT) e do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep) se reuniram com os vereadores, durante a reunião da ordem do dia, nesta terça-feira (31), e solicitaram apoio dos parlamentares em favor de melhorias na rede de educação.

O presidente ADUFMAT, professor Antônio Gonçalves Vicente, destacou que um dos motivos da greve é a busca por melhorias na estrutura da UFMT para atender aos cursos que devem ser implantados na instituição, como por exemplo, Medicina, Direito, Farmácia, Química e Engenharias. “O Governo quer implantar cursos, mas não promovem condições para que sejam oferecidos”, lamentou o professor.

Leia também:  Munícipio protocola projeto de R$ 32 milhões para asfalto e drenagem na região do Parque Universitário

Ele relatou também que o Governo Federal anunciou propostas de reajuste salarial que não condiz com a realidade que será aplicada aos professores universitários.

Os vereadores se colocaram a disposição dos representantes e disponibilizaram um período durante a sessão da Câmara Municipal desta quarta-feira (01/08), para que os sindicalistas possam apresentar à sociedade quais são as reivindicações cobradas junto ao Governo Federal.

O presidente da Casa de Leis, vereador Helio Pichioni, disse que é triste ver que são feita diversas promessas em prol da melhoria na educação, mas que as autoridades competentes não tomam nenhuma atitude para melhorar a qualidade no ensino. O vereador Mohamed Zaher acrescentou que Rondonópolis poderia ser um pólo universitário, o que contribuiria com o crescimento da cidade, caso todas as promessas fossem cumpridas.

Leia também:  Conferência de Avaliação do Plano Estadual de Educação define metas para os próximos dez anos
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.