Má condição de escolas, fome e até falta de agasalhos são problemas frequentes no Brasil, e por isso pessoas que não esperam ou não acreditam no poder público geralmente se mobilizam para fazer essas ações. São os chamados voluntários, pessoas que por iniciativa própria prestam serviços a comunidade.

Aqui em Rondonópolis vários voluntários  atuam para a melhoria de condições de vida dos seres humanos e animais, Jovelina Marques é voluntária da Cruz Vermelha e afirma que este trabalho a faz feliz. De acordo com ela quando pequena passou por muitas dificuldades, e como foi ajudada cresceu com a ideia de também ajudar quem precisa, “Já tive muitos atritos familiares por conta do trabalho voluntário, mas hoje eles me apoiam e até ajudam no trabalho” afirma ela.

Leia também:  ACIR pede providências para retomada da sincronização dos semáforos

No Brasil o número de voluntários ainda  é pequeno em relação a média mundial. Uma recente pesquisa do IBOBE anunciou que apenas 18% dos brasileiros praticam este tipo de trabalho, a média mundial é de 37% e em alguns países como a China e o Canadá este número sobe para até 55%.

Entre os brasileiros adeptos à prática, as mulheres são mais atuantes que os homens, já que 20% delas aderem ao voluntariado, enquanto somente 15% dos homens se engajam.
Entre as pessoas de 40 a 49 anos, 23% aderem à atividade. O percentual de voluntários também é maior entre as pessoas com nível superior, atingindo 33% do segmento, assim como as classes A/B são as mais praticantes, com 27% de adesão aos serviços voluntários.

Leia também:  Parceria | Blogueira lança canal a pedido de seguidores
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.