O primeiro dia de aula após a greve dos professores da Universidade Federal de Mato Grosso, foi marcado por uma mobilização dos alunos no campus de Rondonópolis. A manifestação iniciou na manhã desta segunda-feira (24) na instituição.

Os acadêmicos David Ramos Mendes, Melissa Jäsche e Cícero Tadeu E. de Morais Filho, participantes do manifesto, argumentaram que a inciativa tem como objetivo despertar nos professores o cumprimento da resolução 53 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão  (CONSEPE), onde propõe que nas duas primeiras semanas de aula não sejam aplicadas provas e outros tipos de avaliação. Segundo os universitários há turma que já iniciaram as aulas com a apresentação de seminário além das provas que devem ser aplicadas ainda esta semana.

Leia também:  Tapete colore Rondonópolis para a celebração do Corpus Christi

Outro ponto apresentado no protesto é para que os acadêmicos possam ter participação mais efetiva no processo de decisão da universidade, como por exemplo, no término da greve que deveria ter mais pontos de reivindicações atendidos, principalmente no que tange a melhoria na infraestrutura e materiais de estudo e com isso melhorar a qualidade de ensino no campus. Além de oferecer avisos mais precisos, pois durante a paralisação houve muito desencontro nas informações.

Durante o dia os universitários colhem assinaturas para confecção do Manifesto Estudantil Pós Greve que será entregue na instituição para que possam ser ouvidos. O ato acadêmico é independente do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

Leia também:  ProUni | Aprovados na primeira chamada têm até hoje para confirmar informações
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.