Durante os três dias de discussões e palestras no 1º Seminário da construção das Políticas Públicas sobre Drogas, a participação ativa dos profissionais ligados a diversas áreas foi considerada positiva pelos organizadores. Assuntos como prevenção, redução de danos sociais e a saúde, além do tratamento, recuperação e inserção social dos dependentes foram abordados. Na opinião da presidente do Conselho Municipal Antidrogas – Comad, Creuza Diniz, o evento tem como principal objetivo o alinhamento das ideias, nos âmbitos nacional, estadual e municipal. Indagações como ‘qual é a melhor alternativa durante o tratamento’ foram feitas para garantir o resultado esperado.

Entre os especialistas, há uma unanimidade. A redução da oferta de entorpecentes entre os jovens é uma das principais preocupações. Creuza reforça que o comprometimento do setor da educação é primordial em todo o processo. “A adesão dos profissionais da educação e da saúde é essencial para o sucesso das ações”, disse.

Leia também:  Órgãos se reúnem para definir estratégias de segurança durante o período da Exposul

Especialistas renomados participaram do evento em Rondonópolis como o doutor Mário Roberto Kono de Oliveira, titular do Juizado Especial Criminal de Cuiabá, Elandias Bezerra Souza, representante da Associação Brasileira de Redução de Danos – Goiás, professoras doutoras da UFMT, Delma Perpétua Oliveira de Souza e Maria Jacobina da Cruz Bezerra, além de pessoas ligadas a prevenção da dependência química no estado e em Rondonópolis.

O uso abusivo de drogas tornou-se um grave problema de saúde pública e o enfrentamento desta problemática é uma demanda mundial. De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial de Saúde – OMS, 10% da população mundial dos grandes centros consome abusivamente substâncias psicoativas. Por isso a necessidade da família e da escola no processo de proteção.

Leia também:  Implantação de coletor tronco de esgoto irá interditar parcialmente Fernando Corrêa

Despertar, desde cedo, na criança e no adolescente a conduta de valorizar um estilo de vida saudável; transmitir valores como a responsabilidade com a saúde pessoal e com a saúde da comunidade onde vive e preparar a criança e o adolescente para lidar com momentos de tensão, angústia, frustração, de forma construtiva.

Uso e abuso de drogas

Especialistas afirmam que existem muitas razões que podem levar alguém a usar e abusar das drogas, como problemas pessoais, nervosismo, ansiedade ou tensão, por exemplo. Mas a presidente do Conselho lembra que algumas dessas motivações servem como pretextos ou desculpas. “Todas, no entanto, têm em comum a fuga diante dos problemas pessoais, familiares ou sociais”, enfatiza Creuza Diniz.

Leia também:  Loteamento Melchiades Figueiredo beneficiará 1500 famílias rondonopolitanas

Outro encontro deve ser realizado em breve para elaborar o documento conclusivo do Plano Municipal sobre Drogas. Representantes do Conselho Municipal Antidrogas – Comad, da Secretaria Municipal de Apoio à Segurança Pública – Semasp, e entidades vão definir as estratégias para o enfrentamento desse problema no município conforme as diretrizes dos Planos Nacional e Estadual de Políticas sobre Drogas, mas no âmbito da realidade local.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.