O início da greve nos Correios em Mato Grosso, a partir de amanhã, deve ser oficializada, hoje, às 19h, em assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Correios, Telégrafos e Serviços Postais de Mato Grosso (SINTECT-MT), em Cuiabá. O indicativo já havia sido aprovado na quarta-feira (5). A mobilização é, principalmente, pelo reajuste salarial de 43,7% e manutenção de pontos conquistados ao longo dos anos em relação ao plano de saúde.

Outro ponto que os ecetistas, em especial, os de Mato Grosso cobram da direção da empresa, é a regulamentação da entrega de correspondências pela manhã, devido ao intenso sol e à baixa umidade relativa do ar, comuns na região Centro Oeste. Alguns carteiros relatam que independente de entregarem as correspondências de bicicletas ou motocicletas, as altas temperaturas atrapalham o rendimento do trabalho e principalmente, prejudica a saúde dos trabalhadores que desempenham esta função.

Leia também:  Motorista de Uber é vítima de assalto em Cuiabá

Além dos carteiros, no interior das agências os trabalhadores ainda sofrem com a falta de segurança que favorece o constante risco de assaltos, a falta de condições de trabalho, o assédio moral, fortalecido por meio de Sistemas de Avaliação de Produção, como o SAP, por exemplo. “Esta é a hora de somar, para que a luta seja gloriosa e que, mesmo diante das dificuldades impostas pelo Governo Federal nas rodadas de negociação, os ecetistas precisam estar e se manter unidos em favor de um mesmo ideal: o fortalecimento dos trabalhadores dos Correios no Brasil”, afirmou o presidente do Sindicato, Francisco da Silva Adão.

Em relação ao pedido de reajuste, o sindicato aponta que a empresa ofereceu reposição de 5,2%. As negociações continuam.

Leia também:  Paranatinga | Atleta de Jiu Jitsu conquista duas medalhas de ouro em campeonato internacional

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.