O ritmo dos abates nos frigoríficos de Mato Grosso seguiu intenso, em julho, quando foi abatido quase meio milhão de cabeças. O aumento da quantidade de bovinos para o abate no último mês é resultado da oferta de bovinos a pasto somada ao início da entrega de animais confinados, aponta o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Este fato resultou no rebanho abatido de 498,3 mil cabeças, o maior abate registrado em um mês desde março de 2007, quando foram abatidas 502,4 mil cabeças. Apesar de este resultado de julho ser 8,6% superior ao rebanho registrado no mês anterior, de 458,8 mil cabeças, o maior número de dias úteis compensou o ligeiro recuo da média diária dos abates de 1,3%, passando de 22.940 para 22.651 animais/dia.

Leia também:  Governador sanciona lei que assiste direitos dos portadores de câncer

Assim como a oferta de fêmeas, que apesar da redução de 3,3%, ainda se mantém com uma expressiva oferta de 222,9 mil cabeças, número 18,7% acima do registrado no mesmo período do ano passado, representando 45% do número total de bovinos abatidos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.