Os funcionários dos Correios decidiram entrar em greve por tempo indeterminado no Estado. A adesão a greve nacional foi aprovada, ontem, em assembleia na Praça da República, em Cuiabá. Eles reivindicam 43,7% de reajuste salarial, contratações por meio de concurso público, fim dos sistemas de avaliação de produção e investimentos em segurança nas agências.

A primeira audiência para a discussão reivindicações deve acontecer, hoje, em Brasília, entre representantes da Federação Nacional dos Trabalhadores de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect) e da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT). Ela já havia ajuizado, dia 13, no Tribunal Superior do Trabalho (TST), dissídio coletivo de greve, pedido que a mobilização iniciada dia 11, em algumas cidades do país, fosse declarada ilegal e declarado reajuste de 5,2%. O tribunal ainda deve se manifestar.

Leia também:  Operação Panóptico deve cumprir seis mandados de busca e apreensão em Rondonópolis

Em Rondonópolis as agências estão realizando apenas o serviço de atendimento ao público, apenas 40% do efetivo permanece em atividade, o que pode acarretar um atraso no envio de correspondências simples e registradas.

No Mato Grosso, ainda não há confirmação da quantidade de unidades dos Correios que aderiram a greve.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.