No alto do pódio, Sebastian Vettel ‘riu por último’ no fim de semana em Cingapura (Foto: AP)

Mais rápido em todos os treinos livres em Cingapura, Sebastian Vettel (RBR) tinha sido surpreendido no sábado por Lewis Hamilton e Pastor Maldonado, que garantiram a primeira fila do grid na classificação. Na corrida deste domingo, o alemão – com uma ajudinha do destino – deu o troco, com juros. Nas ruas de Marina Bay, ultrapassou o venezuelano da Williams logo na largada, contou com a quebra da McLaren do inglês que liderava a prova até a 23ª volta e conquistou sua segunda vitória na temporada. O resultado faz Vettel reassumir a vice-liderança do Mundial, que havia perdido para Hamilton com o abandono no GP da Itália. Confira os melhores momentos no vídeo.

O alemão chegou aos 165 pontos e está a 29 de Fernando Alonso (Ferrari), terceiro colocado na corrida, disputada à noite em Cingapura (manhã no Brasil). O segundo foi Jenson Button, da McLaren. Com o triunfo, o jovem bicampeão alcançou uma marca importante: igualou as 23 vitórias do brasileiro tricampeão Nelson Piquet e entrou no Top 10 dos maiores vencedores da história da F-1.

Por falar em Brasil, Felipe Massa e Bruno Senna protagonizaram belas provas de recuperação, com direito a um duelo “encrespado”. Na 43ª volta, a dupla se esbarrou na pista, na disputa pela nona posição. Massa colocou por dentro no ponto mais estreito do traçado e Bruno fechou a porta. Os dois se tocaram, Felipe segurou o carro “no braço” e levou a melhor. No fim, a oitava colocação foi um prêmio para Massa, que havia começado em 13º e caído para último após ser tocado pelo russo Vitaly Petrov na largada. Bruno chegou a perder a décima posição para Mark Webber e, com problemas, abandonou a prova na última volta. Em razão de duas entradas de safety car, a corrida foi encerrada pelo limite de tempo de duas horas, com 59 das 61 voltas completadas.

Massa é tocado na largada

As atenções na largada estavam voltadas para Maldonado, famoso pela quantidade de incidentes em que se envolveu na temporada. A expectativa era saber como o venezuelano, segundo colocado no grid, se comportaria. Enquanto Hamilton partiu tranquilo na ponta, o piloto da Williams tomou tanto cuidado que perdeu posições para Vettel e Button. No meio do pelotão, Petrov (18º no grid) se precipitou, freou tarde na primeira curva e atingiu Massa, que largara em 13º. Com o pneu esquerdo traseiro da Ferrari furado, o brasileiro precisou seguir para os boxes, caindo para último e tendo a corrida prejudicada. Sorte diferente teve Bruno. Partindo da 22ª posição, conseguiu desviar do incidente no começo e cruzou a primeira volta em 18º.

Leia também:  União tem desafio diante do Luverdense em Lucas

Com um bom ritmo de prova, Hamilton se manteve na liderança e colocou uma vantagem de 3s sobre Vettel nas dez primeiras voltas. Button e Maldonado se descolaram da dupla, enquanto Alonso, em quinto, não conseguia se aproximar do venezuelano. Bruno seguiu sua corrida de recuperação: ganhou mais duas posições nas voltas iniciais, com direito a uma bela ultrapassagem sobre a Caterham de Heikki Kovalainen. No fim do pelotão, Massa corria atrás do prejuízo e tentava se aproximar de seu algoz Petrov.

Entre os primeiros colocados, Webber foi o primeiro a parar nos boxes, na nona volta. Seu parceiro de RBR, Vettel fez seu pit duas passagens depois. Hamilton parou na 12ª volta e retornou à pista em terceiro, atrás de Button e Maldonado, mas reassumiu a ponta após a parada nos boxes dos rivais.

Após a rodada de pit stops, a vantagem de Hamilton para Vettel passou para pouco menos de 2s. Em terceiro aparecia Button, seguido por Maldonado e Alonso. Enquanto isso, os brasileiros continuavam a escalar o grid. Na 20ª volta, o piloto da Ferrari já era o 18º, e o compatriota da Williams, o 12º. Nesta mesma volta, Massa realizou seu segundo pit e retornou em 21º.

Fim de prova para Hamilton

Hamilton administrava a prova com tranquilidade e seguia firme para conquistar sua terceira vitória em quatro corridas, resultado que o aproximaria de Alonso na disputa pelo título. Porém, na 23ª das 61 voltas, o destino – ou melhor, o câmbio da McLaren – lhe pregou uma peça: com problemas mecânicos, o britânico abandonou a prova, e a liderança da corrida caiu no colo de Vettel.

Leia também:  Cuiabá e Luverdense empatam no 1° jogo da final do sub-17 e decisão acontece na quinta

O segundo colocado passou a ser Button. Mais atrás, Alonso tentava se aproximar de Maldonado, na busca por um lugar no pódio. Os dois foram para os boxes ao mesmo tempo na volta 30. A Ferrari fez um trabalho melhor que a Williams e soltou o espanhol na cola do adversário.

Safety car dá as caras

Já passava da metade da prova, e o safety car, comum nas corridas do estreito circuito de Marina Bay, ainda não havia dado as caras. Mas na 33ª passagem, o indiano Narain Karthikeyan tratou de acabar com o jejum. Bateu no muro da curva 18 e provocou a entrada do carro de segurança.

Quase todos os pilotos aproveitaram o momento para realizar pit stops. Maldonado, que havia entrado nos boxes pouco antes da entrada do safety car, parou novamente. Melhor para Alonso, que assumiu a terceira colocação. O venezuelano voltou à pista em décimo, quando recebeu a má notícia da Williams pelo rádio: com problemas hidráulicos, deveria se retirar da prova. Quem se deu bem com a interrupção foi a dupla da Force India: Paul di Resta e Nico Hulkenberg se tornaram quarto e quinto colocados, respectivamente, seguidos por Webber e Pérez. Bruno aparecia em 14º, duas posições à frente de Massa.

Schumacher bate em Vergne

Após cinco passagens sob bandeira amarela, o safety car saiu da pista para a relargada, mas teve que entrar em ação novamente logo na volta seguinte. O motivo: como um iniciante, o veterano Michael Schumacher acertou em cheio sua Mercedes na STR de Jean-Eric Vergne, que tentava ultrapassar Sergio Pérez. Depois da corrida, os comissários puniram o experiente alemão  com a perda de dez posições no grid do GP do Japão, próxima etapa do calendário. Pouco antes do acidente, Bruno e Massa já ensaiavam um duelo pela nona posição.

Duelo verde-amarelo

A nova largada foi dada na 43ª volta. E o disputa prevista entre a dupla brasileira se concretizou. A batalha foi dura. Massa colocou por dentro antes da curva 13, ponto mais estreito do circuito. O piloto da Ferrari ficou espremido no muro e os dois chegaram a se tocar. O carro vermelho “sambou”, mas Felipe conseguiu segurar no braço e saiu vencedor do duelo (veja o lance em diversos ângulos no vídeo). O incidente ficou sob investigação pela direção de prova, que preferiu não punir ninguém. Na sequência, Massa fez mais uma bela ultrapassagem, sobre Ricciardo, e assumiu a oitava posição. Bruno ainda perdeu mais uma posição, para Webber, e saiu da zona de pontuação. Na última volta, o brasileiro da Williams abandonou a prova com problemas no carro. A ultrapassagem do australiano não adiantou muito. Após a corrida, ele foi punido por usar a parte de fora da pista para superar Pérez, teve 20s adicionados a seu tempo total e perdeu – para o mexicano – o ponto que havia conquistado.

Leia também:  Antigo Luthero vira cult e ganha lembrança especial do torcedor

Voltas depois, a dupla da Sauber se envolveu em dois incidentes com Hulkenberg. Primeiro, Pérez deu um leve toque na Force India. Logo após, o alemão tentou passar Kobayashi, os dois se tocaram, danificaram seus carros e precisaram ir para os boxes. Enquanto a corrida “pegava fogo” no meio do pelotão, Vettel seguia tranquilamente na ponta para assegurar a vitória. O alemão da RBR cruzou a linha de chegada nove segundos à frente de Button. A terceira posição ficou o líder do campeonato, Alonso.

Confira o resultado final do GP de Cingapura:

1 – Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) – 2h00m26s144
2 – Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) – a 8s959
3 – Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a 15s227
4 – Paul di Resta (ESC/Force India-Mercedes) – a 19s063
5 – Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 34s759
6 – Kimi Raikkonen (FIN/Lotus-Renault) – a 35s700
7 – Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) – a 36s600
8 – Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 42s800
9 – Daniel Ricciardo (AUS/STR-Ferrari) – a 45s800
10 – Sergio Perez (MEX/Sauber-Ferrari) – a 50s600
11 – Mark Webber (AUS/RBR-Renault) – a 47s100 (*)

1112 – Timo Glock (ALE/Marussia-Cosworth) – a 1 volta
13 – Kamui Kobayashi (JAP/Sauber-Ferrari) – a 1 volta
14 – Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) – a 1 volta
15 – Charles Pic (FRA/Marussia-Cosworth) – a 1 volta (**)
16 – Heikki Kovalainen (FIN/Caterham-Renault) – a 1 volta
17 – Pedro de la Rosa (ESP/HRT-Cosworth) – a 1 volta

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.