Mato Grosso não apenas segue liderando a produção nacional de grãos e fibras na safra 2011/12, como também amplia a sua participação no total do país. De uma temporada para outra, o Estado aumentou em cerca de 28% a presença interna na produção de commodities. Na safra 2010/11, foi responsável por 18,98% e no ciclo 2011/12, passou a 24,30%.

Conforme dados do 12º levantamento divulgado ontem pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em Brasília, a produção estadual somou 40,35 milhões de toneladas (t), volume sem precedentes para o Estado. O Brasil colheu 165,9 milhões t, o que revela uma participação mato-grossense de quase 25%. No ciclo passado, o Estado contabilizou 30,94 milhões t e o país, 162,80 milhões t. Mato Grosso respondeu por 18,98% do total. Comparando a evolução anual, há um incremento de 28%.

E a maior contribuição mato-grossense veio da soja e do milho, culturas que juntas somaram pouco mais de 36,86 milhões t, o equivalente a 91,35% do total contabilizado no Estado, 40,35 milhões t. A soja, carro-chefe do agronegócio local, somou recorde de 21,84 milhões t, respondendo por 54,12% do total de grãos e fibras desta safra.

Leia também:  Sujeira leva Visa a notificar Correios de Alto Taquari

Em relação à área plantada, o Estado ampliou em 13,8% a superfície cultivada, de 9,63 milhões de hectares (ha) no ciclo 2010/11 para 10,96 milhões em 2011/12. Do total semeado, a soja cobriu 63,68% da área, já que somou 6,98 milhões ha. Na comparação anual, houve incremento de 9,1%, ante área anterior de 6,39 milhões ha.

BRASIL – A produção recorde de 165,9 milhões de toneladas da safra de grãos 2011/2012 está mantida conforme dados do Mapa e da Conab, o que revela crescimento de 1,9% em relação à safra 2010/2011 – quando a produção atingiu 162,8 milhões de toneladas – e significa 3,1 milhões de toneladas a mais no volume total.

Leia também:  Chapada | MPE requer que estrutura da antiga lanchonete e pamonharia seja demolida imediatamente

O destaque segue sendo o milho segunda safra, onde as condições favoráveis da cultura foram mantidas nas áreas de maior produção. Os dados mostram um crescimento de 73% ou o equivalente a 16,4 milhões de toneladas sobre a última safra, alcançando 38,86 milhões de toneladas. No ano passado foram colhidas 22,46 milhões de toneladas. Já a estimativa para as safras consolidadas (primeira e segunda safras) demonstra um aumento de 26,7% ou 15,32 milhões de toneladas, alcançando 72,73 milhões de toneladas do cereal.

A retração na soja (- 8,9 milhões de t) e no arroz (- 2 milhões de t) também foi confirmada. As reduções se devem, principalmente, às condições climáticas não favoráveis nas fases de desenvolvimento das culturas, quando as mais prejudicadas foram as lavouras de milho e de soja nos estados da região Sul, parte do Sudeste e no sudoeste de Mato Grosso do Sul. A forte estiagem nos estados nordestinos foi outro fator que contribuiu para as perdas e levou a região a uma queda de 22 % em relação à safra passada, ou seja, 3,53 milhões de toneladas de produtos.

Leia também:  MPT em Mato Grosso abre inscrições para seleção de estagiários

ÁREA – A estimativa total de área plantada é de 50,86 milhões de hectares, com um crescimento de 2% ou 982,9 mil hectares a mais que a da safra 2010/11, quando atingiu de 49,87 milhões de hectares.

O milho segunda safra teve um crescimento da área cultivada de 23,1% ou de 1,43 milhão de hectares. A soja vem em seguida, com aumento de 3,6% ou 861,2 mil hectares a mais.

Por outro lado, as culturas de arroz e feijão apresentaram redução na área devido a problemas na comercialização, dificuldades climáticas na região Nordeste, falta de água nos reservatórios e aumento no custo de produção. O próximo levantamento de grãos ocorrerá no dia 9 de outubro e será o primeiro relativo ao período 2012/2013.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.