Passado 24 dias da morte do vendedor de joias José Maria Gomes, que foi encontrado carbonizado no porta malas do próprio carro, as investigações continuam e estão avançadas, afirma o delegado responsável pelo caso Antônio Carlos de Araújo.

De acordo com o delegado ele tem muitas coisas já resolvidas sobre o caso, mas prefere falar somente após a conclusão. Porém Araújo adiantou que alguns cumprimentos de mandatos e prisões em flagrante já foram realizadas.

A família da vítima disse a reportagem do site AGORA MT que está desesperada em não saber nada sobre o caso e que todos estão com medo e vivem trancados, pois enquanto não souberem quem foi o autor do crime toda a família corre perigo, afirma Cleonice Gomes, irmã da vítima.

Leia também:  Com marcas no corpo, cantor é encontrado morto nos fundos do parque de exposição em Juína

Cleonice afirma ainda que o fato de não ter resposta sobre o caso aflige a todos “Meu irmão foi morto brutalmente, nem animal pode ficar desse jeito” disse ela ainda muito abalada com a morte do irmão “Ele era um homem bom e trabalhador e não merecia isso, estamos aguardando justiça”.

O caso:

O vendedor de joias José Maria Gomes, 61 anos, estava desaparecido desde a tarde do dia 02 de Outubro. Segundo a família ele havia recebido uma ligação e iria à casa de um cliente com todo o mostruário.

O corpo do vendedor foi encontrado no dia seguinte carbonizado dentro do porta malas do veículo dele em uma estrada na região do Balneário Vale Encantado, próximo a Rondonópolis.

Leia também:  Após 25 anos, homem acusado de matar namorada é preso em Santa Rita

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.