Os preços da pluma no mercado doméstico continuam com a tendência de se aproximar da paridade de exportação. Com a queda das cotações na Bolsa de Nova Iorque na última semana, os preços pagos ao produtor em Campo Verde deveriam recuar 9,5% para se igualar. Situação que exemplifica a baixa competitividade dos produtores de Mato Grosso, principalmente pelo valor do frete no interior do Estado até os principais portos de escoamento da pluma.

De Rondonópolis a Santos, o frete do algodão em pluma tem média de R$ 262/t, valor 34% superior ao do mesmo período do ano anterior. Na região de Sapezal o valor do transporte ao porto de Santos chega a R$ 345/t. Com os preços em baixa, os negócios continuam lentos, já que a maioria dos vendedores não aceita os patamares de preços atuais. Enquanto isso, o beneficiamento da pluma 2011/12 em Mato Grosso está em 83% e deve terminar no final de novembro.

Leia também:  Mais de 12 mil motoristas ficaram parados na BR-163 por falta de combustível

O ritmo das algodoeiras é um pouco mais lento, pois a maioria das vendas antecipadas já foi entregue, mas há uma preocupação de terminar o processo antes do início contínuo das chuvas, preservando a qualidade do algodão, aponta o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.