Não deixar que importantes fatos históricos caiam no esquecimento, esse é um dos objetivos da “Exposição Chacina do Merúri, MT – 1976-2012: 36 anos – Terra Indígena Bororo regada com o sangue dos mártires: Padre. Rodolfo Lunkenbein (S.D.B.) e Índio Simão Bororo” apresentada por acadêmicos do curso de História da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) de Rondonópolis.

O coordenador dos acadêmicos, professor Paulo Isaac, lembra que a Chacina do Merúri marcou o começou do processo de colonização do Centro-Oeste brasileiro e o momento de demarcação das terras indígenas, pelo Governo Federal, o que resultou em várias mortes pelo país sendo que o caso de Merúri foi o mais importante da região sul de Mato Grosso e teve repercussão internacional.

Leia também:  Inscrições abertas para Seminário de Saúde e Segurança no Trabalho em Rondonópolis

A exposição ficará disponível no saguão do prédio principal do Campus até o dia 26 de outubro, das 7h às 22h. Segundo o professor posteriormente o trabalho estará disponível para apresentações em escolas e instituições, como forma de propagar um fato relevante da historia do Estado.

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=J79XXrqSUCc[/youtube]

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.