Os negócios gerados, entre janeiro a setembro, com as vendas de produções de Rondonópolis para o mercado internacional atingiram pouco mais de US$ 1 bilhão, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Crescimento de 32,97% quando comparado com o mesmo período do ano passado. Somente em setembro, foram US$ 124,4 milhões, queda de 21,85% no comparativo.

Os bagaços e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja aparecem em primeiro na relação dos principais produtos exportados, com US$ 473,8 milhões em negócios. A lista tem pelo menos 23 itens e entre os destaques estão ainda as vendas de algodão simplesmente debulhado, com US$ 216 milhões e da soja mesmo triturada e exceto para semeadura, com US$ 170,2 milhões. Há ainda óleo de soja bruto, com US$ 87,1 milhões e, milho em grão, exceto para semeadura, com US$ 45 milhões e outros.

Leia também:  Nova proposta do IPTU vai reduzir imposto de cerca de 48 mil famílias

A China é o principal destino dos produtos, com US$ 224 milhões. Em seguida estão Holanda, com US$ 188,6 milhões; Tailândia, com US$ 112,3 milhões; Indonésia, com US$ 82,5 milhões e Coréia do Sul, com US$ 62,3 milhões. O levantamento do ministério aponta que as produções de Rondonópolis seguem para aproximadamente 30 localidades diferentes.

Importações
De janeiro a setembro as empresas e indústrias instaladas em Rondonópolis gastaram US$ 606,7 milhões com aquisições de produtos internacionais, queda de 13,87% em relação ao mesmo período do ano. Somente em setembro, foram US$ 72,5 milhões (+ 29,58% ante setembro de 2011). Insumos industriais foram as principais aquisições.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.