O instrutor Juliano Heckler que morreu na queda avião monomotor que caiu no início da noite desta quinta-feira (18), na Estrada do Corredor, área rural de Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, praticava acrobacias há 15 anos em vários festivais, inclusive na Esquadrilha da Fumaça.

Neto de aviador,  ‘Juliano Cabelo’, como era conhecido, ficou preso nas ferragens e morreu na hora. Um aluno estava pilotando o avião e também morreu. As causas do acidente estão sendo investigadas pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

De acordo com o 2º Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA II), era um voo de treinamento com duração de meia hora. O avião pertencia ao Aeroclube do Paraná que tem hangar no Aeroporto do Bacacheri.

Leia também:  Quadrilha rouba banco e deixa para trás mais de R$ 5 milhões e 68 kg de dinamites durante fuga

“O avião estava voando e fazendo uma manobra. Daí deu um estouro e aí ele desceu em parafuso. Ele bateu no chão, deu aquele estouro, levantou aquele poeirão”, explica o morador Osmar Moscardim, um dos primeiros a chegar ao local.

O corpo de Juliano está sendo velado desde a madrugada desta sexta-feira (19) no Aeroclube do Paraná. Já o do aluno foi levado para Londrina, no norte do estado.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.