Estudantes paquistanesas protestam contra ataque do Taleban a Malala Yusafzai

O presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, afirmou nesta terça-feira (16) que os tiros disparados por extremistas talebans contra a adolescente Malala Yusafzai representam “um ataque contra todas as meninas” do Paquistão.

“O ataque dos talebans contra esta jovem de 14 anos, que desde os 11 anos está comprometida na luta pelo direito da educação das meninas, é um ataque contra todas as meninas do Paquistão, um ataque contra a educação e todas as pessoas civilizadas”, declarou Zardari à margem de um fórum econômico em Baku, capital do Azerbaijão.

— O trabalho era maior aos olhos de Deus do que o que fazem terroristas em nome da religião. Vamos continuar defendendo sua causa notável.

Leia também:  Jorge Glas, vice-presidente do Equador é preso por propinas da Odebrecht

Jovem ativista baleada no Paquistão chega ao Reino Unido

Menina blogueira baleada pelo Taleban recebe novas ameaças

No dia 9 de outubro, Malala foi alvo de um ataque em Mingora, noroeste do Paquistão. A menina foi atingida por tiros no ombro e na cabeça.

A adolescente foi transferida na segunda-feira a Birmingham (Inglaterra), para um hospital que atende os soldados feridos no Afeganistão.

O ataque provocou uma grande comoção em todo o mundo e no Paquistão, onde um sentimento antitaleban foi registrado em várias regiões do país de mais de 180 milhões de habitantes, em que foi percebido um aumento do fundamentalismo religioso nos últimos anos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.