Mudanças no modelo de plantio para buscar aumento de produtividade e preocupação com a presença de plantas daninhas que ameaçam as lavouras de soja são alguns dos cenários que as equipes do Circuito Tecnológico da Aprosoja estão encontrando na região Centro-Sul de Mato Grosso. O projeto segue até esta sexta, dia 26, com o objetivo de traçar um Raio-X da safra do grão no Estado.

“Dentro do Circuito vemos inovações tecnológicas, sejam máquinas, sejam tecnologias. Aqui nos chamou a atenção o plantio fileira dupla e tripla. Isso é um teste. O pessoal está vendo o comportamento da soja. Em Mato Grosso temos um solo de muita tecnologia e clima, mas se não fosse o produtor pioneiro, empreendedor, se não fizesse inovações, estaríamos atrasados”, afirma o gerente técnico da Aprosoja, Luiz Nery Ribas.

Leia também:  Inscrições para expositores já estão abertas

Além da busca por inovações no modelo de cultivo, o que também chama a atenção dos técnicos é a presença considerável de algumas plantas daninhas. O problema começa a preocupar quem está no campo, que teme os impactos no desempenho da plantação.

Um dos alertas é com a buva, invasora conhecida e temida principalmente pelos agricultores do Sul do país. No Centro-Oeste, os prejuízos causados por ela ainda não são grandes, mas a aparição da erva daninha tem se tornado mais frequente em algumas regiões.

De acordo com especialistas, três a quatro plantas de buva por metro quadrado podem causar prejuízos de até 10% na plantação de soja.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.