O secretário de Estado de Segurança Pública (Sesp), Diógenes Curado Filho, reuniu-se nesta terça-feira (09.10), com o general de Brigada do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Maa. Assegurar o apoio dado pelas instituições que compõem o sistema de segurança pública de Mato Grosso durante a ‘Operação Ágata 6’, deflagrada no município de Cáceres (a 250 quilômetros de Cuiabá), foi o objetivo da reunião.

De acordo com Diógenes, cerca de 300 profissionais da Polícia Militar, por meio do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) e Grupo Tático Rodoviário de Fronteira (GTRFron); Polícia Judiciária Civil, Corpo de Bombeiros e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) deverão atuar em apoio à operação desencadeada também nos estados do Mato Grosso do Sul (MS), Rondônia (RO) e Acre (AC).

Leia também:  Professor de MT é finalista de premiação nacional

“Para combater o tráfico de entorpecentes é fundamental que as instituições de segurança unam suas forças. Tenho certeza que com a operação conseguiremos minimizar a entrada de drogas no nosso Estado e, assim, reduzir índices de criminalidade que estão associados à esse tipo de crime, como o roubo e homicídio”, avaliou o secretário.

Para o general de Brigada do Exército Brasileiro, Carlos Alberto Maas, o apoio das instituições de segurança de Mato Grosso contribuirá para o sucesso da operação. “Já estamos na sexta edição e, anualmente, contamos com o apoio do Governo do Estado. É um reforço que amplia muito nossa força no combate ao tráfico de drogas e outros crimes comuns na área de fronteira como contrabando e descaminho”, observou.

Leia também:  Após denúncia, veículo roubado é encontrado na Vila Olinda

Além do secretário Diógenes, estiveram presentes na visita os comandantes da Polícia Militar, coronel Osmar Lino Farias; do Corpo de Bombeiros, coronel Aderson José Barbosa; diretor geral da Polícia Judiciária Civil, delegado Anderson Garcia e do diretor geral da Politec, Rubens Okada.

ÁGATA

A Operação Ágata 6 é realizada pelo Ministério da Defesa, por meio do Exército Brasileiro, dentro da concepção do Estratégia Nacional de Segurança Pública nas Fronteiras (Enafron) para o combate aos delitos fronteiriços e ambientais na faixa de fronteira entre os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Acre e Rondônia, que abrange uma extensão aproximada de 4,2 quilômetros.

Além da Secretaria de Segurança Pública de Mato Grosso, integram a operação outras instituições como a Polícia Federal (PF), Fundação Nacional do Índio (Funai) e Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Renováveis (Ibama).

Leia também:  Governo decreta ponto facultativo na sexta-feira (03)
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.