O calendário de reposição de aulas na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) começará a ser definido pelas férias dos docentes, hoje, em Cuiabá. “Fizemos uma consulta em todas as unidades da preferência das férias porque o professor tem esse direito e, após ouvir toda a comunidade, hoje à tarde, definiremos os períodos de férias, mas nós cumpriremos os 200 dias letivos, com toda a reposição do calendário”, explicou a reitora da instituição, Maria Lúcia Cavalli Neder.

O calendário letivo da instituição foi prejudicado após greve dos professores que durou cerca de quatro meses. As aulas retornaram na semana passada, com os profissionais definindo replanejamento e recuperação de conteúdos. A previsão é de uso dos meses de fevereiro e julho (quando há férias dos alunos) para que a reposição ocorra.

Leia também:  Denúncias à ouvidoria da Ager podem ser feitas via WhatsApp

A normalidade do calendário acadêmico deve demorar entre 3 a 4 anos para resolver. Já os novos acadêmicos, selecionados a partir do Sisu, deverão iniciar as atividades apenas em maio do próximo ano. A UFMT tem campus em Cuiabá, Rondonópolis, Sinop, Barra do Garças e Pontal do Araguaia, reunindo aproximadamente 20 mil acadêmicos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.