Nos últimos cinco dias, fiscais do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) apreenderam, em média, 1 tonelada de propaganda irregular em favelas submetidas ao domínio de traficantes ou milicianos, na capital fluminense.

Hoje (5), um comboio, com apoio de 300 homens do Exército, retirou material de propaganda em locais proibidos da Favela da Coreia, em Senador Camará, zona oeste. A área é dominada por traficantes de drogas e tem assistido a confrontos entre traficantes rivais. Um desses confrontos, no mês passado, terminou com a morte de quatro pessoas.

O juiz André Ricardo Ramos da 173ª Zona Eleitoral, destacado para fazer a fiscalização, disse que os moradores apoiam o trabalho dos fiscais. “As operações são pacíficas. Inclusive, em locais, em tese, dominados por milícias, tivemos moradores pedindo para que retirássemos o material. Ninguém diz que foi ameaçado, mas fica aquela coisa no ar”, comentou o juiz.

Leia também:  Trabalhador é morto após ser atropelado e arrastado por 2 Km, motorista não prestou socorro

Na opinião do presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Sveiter, a presença do Exército foi muito importante para viabilizar a fiscalização e retirada de material em favelas sob domínio de organizações criminosas.

“Esse aparato é para a população verificar que ela pode votar sem pressão. E há um fato que deve ser destacado. Não há nenhuma possibilidade de alguém saber em quem o eleitor votou. Quem estiver dizendo isso é mentiroso, é estelionatário”, disse Sveiter.

O presidente do TRE confirmou que o problema apresentado com as urnas eletrônicas em Nova Iguaçu  foi resolvido e que nenhum eleitor precisará votar com cédula de papel.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.