O Partido dos Trabalhadores (PT) resolveu dar satisfação de seus atos aos filiados rondonopolitanos e na próxima semana fará uma reunião para anunciar os motivos que levarão a direção do partido a aceitar a proposta do prefeito eleito Percival Muniz (PPS) e assim se integrar a base de apoio do próximo governo municipal.

Tudo muito democrático, a não ser o fato de o presidente da sigla em Rondonópolis e vereador eleito pelo partido, Mauro Campos, avisar que apesar da reunião, nenhum dos filiados poderá emitir opinião sobre o assunto e muito menos será mudado o direcionamento da decisão já tomada.

Quem diria o PT que sempre primou pela democracia interna, agora resolveu atacar de pequena ditadura e proibir a manifestação e opinião dos demais filiados.

Leia também:  Ságuas vai deixar a política e voltar à medicina

Senão bastasse a “ditadura”, o PT histórico rival do PSDB em todo o país, resolveu em Rondonópolis tapar o sol com a peneira para as críticas desferidas pelo vice-prefeito eleito, Rogério Salles (PSDB), feitas a membros do partido apenas para amealhar alguns cargos no ano que vem.

Agora para ser petista em Rondonópolis, o filiado terá que pregar a máxima, “Não ouço, não falo e não vejo”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.