Com o início da Piracema – período em que a pesca é proibida – em Mato Grosso a venda de peixes de tanque deve aumentar em torno de 30% até o fim de fevereiro de 2013, conforme as expectativas dos piscicultores. Já os supermercados da capital a projeção é de um aumento em tono de 20% nesse período. De acordo com a Associação de Aquicultores de Mato Grosso (Aquamat), hoje o consumo do pescado criado em cativeiro ganhou o mercado estadual e quase não há aumento de produção para época se comparado há alguns anos quando a expansão chegava até a 60%.

Mato Grosso passou de uma produção anual de 15 mil toneladas para 32 mil (t) de peixes, ocupando assim o 1º lugar no ranking nacional como maior produtor de peixe nativo, e 5º lugar na produção de peixe de água doce, de acordo com o Censo Aquícola de 2010, do Ministério da Pesca e Aquicultura (Mapa).

Leia também:  Saúde foca em realização de novo concurso

Existem no Estado cerca de 950 piscicultores e 4 mil pessoas dependendo da produção para sobreviver. Cerca de 103 integram a Aquamat e são responsáveis por até 80% da produção estadual.

O presidente da Aquamat Jules Ignácio Bortoli, explica que o consumo do peixe criado em cativeiro já é predominante no Estado,o que faz com que na época da Piracema o aumento das vendas não seja mais tão expressiva como em outros anos.

“Hoje o consumo do peixe de cativeiro já tem mercado, e as pessoas já consomem, muitas vezes até mesmos sem saber”,afirmou. Bortoli explica que produção de peixes está presente em praticamente todo o Estado, porém é mais forte na região de Livramento e Baixada Cuiabana.

Leia também:  BR-364 é interditada entre Rondonópolis e Cuiabá nesta terça

Bortoli destaca que as vendas de peixes de rio perderam espaço principalmente em função aquicultura que cresce em média 17% ao ano com o emprego de maior tecnologia a produção, garantido assim um produto de qualidade. “Hoje podemos dizer que com a tecnologia empregada na produção não é possível ao menos diferenciar pelo sabor um peixe de rio e outro de cativeiro”, afirmou. Ele lembra que as técnicas usadas vão desde um manejo adequado da água, melhoria das rações, vacinas e outras mais especializadas.

O gerente regional da Rede de Supermercados Comper, José Maris, confirma a conquista “Hoje esperamos algo em torno de 10% a 15% de aumento nas vendas, uma vez que o peixe de cativeiro já faz parte do mercado estadual”, apontou.

Leia também:  Após 6 dias, fogo que destruiu 12 mil hectares é extinto em parque de MT
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.