Com o início da Piracema – período em que a pesca é proibida – em Mato Grosso a venda de peixes de tanque deve aumentar em torno de 30% até o fim de fevereiro de 2013, conforme as expectativas dos piscicultores. Já os supermercados da capital a projeção é de um aumento em tono de 20% nesse período. De acordo com a Associação de Aquicultores de Mato Grosso (Aquamat), hoje o consumo do pescado criado em cativeiro ganhou o mercado estadual e quase não há aumento de produção para época se comparado há alguns anos quando a expansão chegava até a 60%.

Mato Grosso passou de uma produção anual de 15 mil toneladas para 32 mil (t) de peixes, ocupando assim o 1º lugar no ranking nacional como maior produtor de peixe nativo, e 5º lugar na produção de peixe de água doce, de acordo com o Censo Aquícola de 2010, do Ministério da Pesca e Aquicultura (Mapa).

Leia também:  Trincheira em avenida de Cuiabá será totalmente interditada por cinco dias

Existem no Estado cerca de 950 piscicultores e 4 mil pessoas dependendo da produção para sobreviver. Cerca de 103 integram a Aquamat e são responsáveis por até 80% da produção estadual.

O presidente da Aquamat Jules Ignácio Bortoli, explica que o consumo do peixe criado em cativeiro já é predominante no Estado,o que faz com que na época da Piracema o aumento das vendas não seja mais tão expressiva como em outros anos.

“Hoje o consumo do peixe de cativeiro já tem mercado, e as pessoas já consomem, muitas vezes até mesmos sem saber”,afirmou. Bortoli explica que produção de peixes está presente em praticamente todo o Estado, porém é mais forte na região de Livramento e Baixada Cuiabana.

Leia também:  Cerca de 640 novos casos de Aids são registrados em Mato Grosso

Bortoli destaca que as vendas de peixes de rio perderam espaço principalmente em função aquicultura que cresce em média 17% ao ano com o emprego de maior tecnologia a produção, garantido assim um produto de qualidade. “Hoje podemos dizer que com a tecnologia empregada na produção não é possível ao menos diferenciar pelo sabor um peixe de rio e outro de cativeiro”, afirmou. Ele lembra que as técnicas usadas vão desde um manejo adequado da água, melhoria das rações, vacinas e outras mais especializadas.

O gerente regional da Rede de Supermercados Comper, José Maris, confirma a conquista “Hoje esperamos algo em torno de 10% a 15% de aumento nas vendas, uma vez que o peixe de cativeiro já faz parte do mercado estadual”, apontou.

Leia também:  Taques inaugura 170 km de rodovias em Paranatinga, Primavera e Santo Antônio do Leste

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.