Pelo menos 48 crianças morreram neste sábado (17) depois que o ônibus no qual viajavam foi atingido por um trem na província de Asiut, no sul do Egito, o que motivou a renúncia do ministro dos Transportes egípcio, Mohammed Rashad al-Metini, informou a agência oficial de notícias ‘Mena’.

O ônibus levava mais de 50 crianças com idades entre 4 e 6 anos, e seguia para uma vila próxima de al-Mandara, segundo a polícia. De acordo com as primeiras informações, o acidente ocorreu em uma passagem pela ferrovia, que não estava fechada.

Além das crianças, também morreram o motorista do veículo e uma pessoas responsável pelos alunos, segundo a agência, que precisou que o acidente aconteceu por volta das 8h locais perto da cidade de Manfalot, 400 km ao sul do Cairo.

Leia também:  Ex-gerente é preso por fraude que desviou mais de R$ 10 milhões do Banco do Brasil

De acordo com membros das equipes de resgate, entre sete e 11 crianças feridas foram levadas para dois hospitais da região. O ônibus foi partido ao meio pela força do impacto.

O ministro dos Transportes apresentou sua renúncia ao presidente egípcio, Mohamed Mursi, por sua responsabilidade política no acidente, após ter aceitado a demissão e a investigação sobre o chefe da Empresa Nacional de Ferrovias, Mustafa Qanaui.

Os acidentes ferroviários e de trânsito são frequentes no Egito devido à má qualidade dos veículos e das estradas, à imprudência dos motoristas e à má sinalização das vias.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.