Com o filho Arthur, de 12 anos, com febre alta, a dona de casa Rose Silva teve que esperar por mais de 5 horas por uma consulta médica em Cuiabá. Com a senha de atendimento em mãos, ela foi para casa, que fica 30 minutos de ônibus da unidade de atendimento. Retornando após o almoço. O caso de Arthur não era grave, mas não havia médico disponível para fazer o atendimento imediato. O caso de Rose e seu filho exemplifica parte dos problemas enfrentados na área de saúde pública em Cuiabá por milhares de pessoas diariamente.

Se perguntarmos a qualquer cuiabano, qual o principal problema da cidade? A grande maioria responderá que é a saúde.
Durante a campanha eleitoral deste ano, os candidatos falaram exaustivamente sobre os problemas de Cuiabá. O prefeito eleito Mauro Mendes em seu plano de governo fez diversos compromissos, a construção de um novo pronto socorro é um deles.

Leia também:  De borboleta e lagarta

Neste momento dois sentimentos estão cristalizados: a esperança e a desconfiança. Mesmo os desconfiados nutrem intimamente um sentimento de esperança. Então temos os esperançosos desconfiados e os desconfiados esperançosos. Os desafios de Mauro e sua equipe são enormes e a confiança por parte da população só vai aumentar com a demonstração de foco e disposição já nos primeiros dias de mandato de cumprir com as promessas feitas durante a campanha eleitoral. Essa disposição ele já demonstra no pós-eleição ao imediatamente organizar a equipe de transição e já definir algumas ações emergenciais que serão implementadas assim que tomar posse.

Mauro tem tudo para ser um excelente prefeito. Deve focar inicialmente na saúde, principal problema da Capital de Mato Grosso. No entanto, é preciso mais e o novo prefeito da cidade tem a missão de se engajar decididamente nesse processo, com a legitimidade do mandato popular respaldado pelas urnas. Por sua vez, os governos federal e estadual não podem e não devem virar as costas para Cuiabá. Eles possuem um importante papel nesse processo, principalmente pelo volume de recursos destinados ao município.
A Copa de 2014 é uma oportunidade impar de transformar projetos relacionados ao megaevento em benefícios concretos para a cidade, principalmente no que diz respeito à infraestrutura. A melhoria do transporte coletivo e da acessibilidade é um dos legados que a Copa deve deixar para a população cuiabana.

Leia também:  Quando até a indignação é corrompida

A aposta está lançada e esperemos que as cores partidárias não interfiram nem prejudiquem os projetos para Cuiabá. Que o alinhamento de fato aconteça entre todas as esferas de poder.

Mauro deve governar para todos, para os que nele votaram e para os não votaram. Os que não votaram no novo prefeito devem agora somar forças e torcer para que Mauro Mendes tenha a capacidade de transformar os desconfiados em otimistas, com trabalho e ações para que a Rose e o seu filho Arthur e nenhum outro cuiabano precise sofrer para receber atendimento, que naturalmente é um direito garatindo na Constituição Federal.

Igor Taques Ourives – Radialista e apresentador do Programa Folha Mix da Rádio Mix FM Cuiabá (94,3).

Leia também:  Uma empresa, a solução perfeita e a miopia de uma equipe

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.