Falcão comemora gol de empate do Brasil em uma das partidas mais marcantes da história (Foto: AP)

A Argentina esteve perto de eliminar o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo de Futsal. Os hermanos venciam por 2 a 0 (gols de Rescia e Borruto) até os 13 minutos do segundo tempo, quando os atuais campeões mundiais começaram uma épica reação no ginásio Huamark, em Bangcoc. Com gols de Neto e Falcão, o time brasileiro levou o jogo à prorrogação, onde brilhou a estrela do camisa 12. Acometido por uma paralisia facial, o craque atuou no sacrifício, mas nem isso reduziu o seu brilho. Aos cinco minutos do primeiro tempo da prorrogação, ele marcou o gol da classificação, decretando a vitória brasileira por 3 a 2. Emocionado, o ala – que esteve perto de ser cortado do Mundial, por conta de uma lesão na panturrilha – caiu aos prantos, contagiando todos da equipe brasileira.

– Tem histórias que são eternizadas, e o dia de hoje é um desses. A paralisia atrapalha, porque não consigo enxergar direito. Mas há coisas que não se explicam. Só tenho que agradece a Deus. Não há nada ganho, mas as circunstâncias de hoje tornaram esta vitória muito especial – afirmou Falcão, em entrevista ao SporTV, após a partida.

Os comandados de Marcos Sorato aguardam agora o vencedor de Colômbia x Ucrânia para ver quem será o seu adversário na semifinal, sexta-feira, às 10h30m, em Bangcoc. Os times se enfrentam ainda nesta quarta-feira, na capital tailandesa.

O Brasil chegou ao ataque pela primeira vez aos dois minutos. Em jogada de velocidade, Fernandinho arrancou pela direita e bateu rente à trave de Santiago Elìas. A resposta da Argentina veio no minuto seguinte, em chute de Cuzzolino, que Tiago voou para defender no canto. Mais soltos em quadra que o habitual, os hermanos tiveram sua melhor oportunidade até então, aos quatro, quando Basile dominou na esquerda do ataque e carimbou a trave brasileira.

Leia também:  MT fatura ouro e prata na luta olímpica dos Jogos Escolares

Refeito do susto e já com um novo quarteto em quadra, a seleção do Brasil voltou a finalizar aos seis. Após tabelar com Jé, Rodrigo encheu o pé e Elìas defendeu com segurança. Explorando os contra-golpes, a Argentina assustou novamente aos sete, em jogada em que Rescia foi lançado na esquerda e tentou o toque na saída de Tiago, que tirou com o pé. Com dificuldade de penetrar na marcação argentina, o Brasil insistia nas finalizações de longe, como aos nove, quando Vinicius emendou cobrança de escanteio e Elìas foi buscar.

Aos 10, a situação do time de Marcos Sorato começou a se complicar. Em dividida na intermediária, o árbitro panamenho Wenceslaos Aguilar aplicou o segundo cartão amarelo a Jé, alegando que o pivô brasileiro aplicara uma cotovelada em Stazzone. Expulso, o jogador deixou a quadra chorando, incoformado com a decisão do juiz. Mesmo com um jogador a menos por dois minutos, o Brasil seguiu se impondo. Aos 11, Neto tabelou com Fernandinho e foi derrubado no momento da conclusão. Segundos depois, Ari arrancou em velocidade, saiu na cara do gol, mas tocou para fora.

Já com cinco jogadores em quadra, o Brasil esteve muito perto de abrir o placar aos 13. Em cobrança de falta frontal, Neto soltou uma bomba na trave e a bola acabou saindo pela linha de lado. Aos 16, Fernandinho tabelou com Simi e bateu à meia altura. Elìas conseguiu espalmar para o lado. Um minuto depois, porém, a seleção sofreria dois grandes golpes. Em lançamento longo de Basile, Rescia tocou na saída de Tiago e fez 1 a 0 para a Argentina. Menos de um minuto depois, os hermanos ampliariam. Após tabela rápida, Borruto dominou na área e bateu por baixo, marcando o segundo.

Leia também:  Avengers e Ki-Modelo disputam final de basquete nesta sexta

Correndo atrás

Em desvantagem, o Brasil foi para o tudo ou nada nos minutos finais, tentando reduzir o placar antes do intervalo. Aos 18, Neto teve duas chances em sequência. Na primeira delas, a finalização foi em cima de Elias. Na segunda, Cuzzolino tirou de cabeça, em cima da linha, garantindo os 2 a 0 da etapa.

A seleção brasileira voltou para o segundo tempo disposta a mudar a situação do jogo, e, logo aos 30 segundos, Wilde finalizou duas vezes, sendo parado em ambas pelo goleiro Elías. Aos dois minutos, o Brasil chegou bem novamente. Em tabela rápida, Vinicius tocou para Ari na área, mas o ala não conseguiu mandar para o gol. A pressão brasileira continuou nos minutos seguintes e, aos três, Vinicius carimbou o poste esquerdo de Elìas, que mais uma vez se safou de levar o primeiro.

Goleiro Elías segue fechando o gol

Aos cinco, foi a vez de Simi girar em jogada de pivô e chutar forte, para mais uma intervenção do camisa 1 rival. Três minutos depois, o goleiro argentino novamente contou com a sorte, quando Simi puxou para o meio e carimbou a trave mais uma vez. Com Falcão em quadra, o Brasil continuou desperdiçando oportunidades e, aos 12, o craque quase diminuiu chutando da intermediária, rente ao travessão.

Leia também:  Palmeiras assume a vice-liderança após vencer Grêmio fora de casa

Aos 13, a seleção finalmente conseguiu marcar o seu primeiro gol. Em chute rasteiro cruzado, Neto acertou o canto esquerdo de Elías, que nada pode fazer. O gol motivou o Brasil, que não demorou mais de um minuto para empatar. Em jogada frontal, Falcão bateu de pé esquerdo, marcando 2 a 2. O Brasil poderia ter virado aos 16. Após jogada de Falcão, Fernandinho ficou livre, mas finalizou fraco, facilitando a defesa de Elìas. A Argentina voltou a atacar nos minutos finais e, aos 18, Borruto chutou forte da esquerda, para a defesa de Tiago, na última oportunidade no tempo normal.

Na prorrogação, as equipes adotaram uma postura um pouco mais cautelosa, principalmente o Brasil que estava a uma falta de estourar o limite de infrações. Aos quatro, Borruto recebeu na frente e bateu para fora. A resposta da seleção brasileira veio 30 segundos depois, em chute de chapa de Falcão. No minuto final do primeiro tempo, porém, viria o momento chave da partida. Após dominar na intermediária, Falcão encheu o pé e Elías não conseguiu segurar: 3 a 2. Emocionado, o jogador chegou a chorar no momento da comemoração.

No segundo tempo, a Argentina tentou correr atrás do empate, mas o bom posicionamento da defesa brasileira conseguiu impedir a reação dos hermanos. Aos dois, Borruto recebeu na entrada da área, mas bateu por cima. Em contra-ataque, o Brasil desperdiçou a chance de liquidar a partida, com Fernandinho, finalizando para fora, de dentro da área. Nos segundos finais, Tiago ainda fez uma defesa em chute de Garcias, garantindo a épica classificação brasileira.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.