Já na Ferrari, Felipe Massa venceu em Interlagos pela primeira vez em 2006 (Foto: Agência Getty Images)

Vivendo um bom momento após um começo de temporada bastante complicado na Ferrari, Felipe Massa chegou a São Paulo empolgado com sua participação no GP do Brasil. A prova definirá, entre Sebastian Vettel e Fernando Alonso, quem será o mais novo tricampeão da categoria. Mesmo disposto a ajudar o companheiro, Felipe está com esperanças de vencer novamente diante de sua torcida, o que não ocorre desde 2008. Para aumentar o alto astral, ele preparou uma surpresa para o pai: durante o fim de semana, o competidor terá em seu capacete um desenho parecido com o que Titônio usava em seus tempos de piloto. Por meio de uma rede social, o piloto declarou que o pai curtiu a surpresa.

Pai do piloto, Titônio Massa conversou com o GLOBOESPORTE.COM, demonstrando confiança em um bom desempenho do brasileiro da Ferrari no GP do Brasil, prova que Felipe já venceu em duas ocasiões. No entanto, Titônio admitiu que, caso necessário, Felipe trabalhará para ajudar o companheiro de equipe na briga pelo título contra Sebastian Vettel. O alemão da RBR tem 13 pontos de vantagem sobre o espanhol, que precisa ir ao pódio para fazer sua parte na busca pelos pontos que precisa.
Capacete de Felipe Massa, da Ferrari, paara o GP do Brasil de Fórmula 1 2012 (Foto: Divulgação)Capacete de Felipe Massa, da Ferrari, paara o GP do Brasil de Fórmula 1 2012 (Foto: Divulgação)

Leia também:  Holloway vence a luta contra José Aldo

“Em toda a pista a gente tem esperança de vitória. Aqui, é lógico que a condição é um pouco diferente porque o Alonso está disputando o campeonato. Se precisar da ajuda do Felipe, ele certamente vai ter. Mas, caso não precise, é lógico que a esperança é a última que morre e a vontade é sempre muito grande. Uma vitória, ainda mais em casa, para coroar essa evolução do Felipe, não me deixaria nem um pouco triste, riu Titônio”.

De fato, Massa vem tendo desempenho forte nas corridas disputadas desde as férias do verão europeu, em agosto. Nas últimas oito etapas, o brasileiro foi o quarto a somar mais pontos. Com 82 marcados apenas nesta fase, ele só tem menos do que Vettel (151), Alonso (96) e Kimi Raikkonen, da Lotus (90).

Leia também:  Futebol em luto: morre Gilson Lira

Justamente por isso, talvez, que Titônio tenha minimizado a atitude da Ferrari no GP dos Estados Unidos, disputado no último domingo. Em Austin, o time rompeu propositalmente o lacre do câmbio do carro de Felipe para que uma punição o fizesse perder cinco posições no grid (de sexto para 11º) e permitisse a Alonso ganhar um posto (de oitavo para sétimo) para largar do lado limpo da pista – o espanhol acabou a corrida em terceiro e o brasileiro, em quarto.

“Ele está com sangue nos olhos. Fez uma corrida bacana, se deu bem com aquela pista. Andou forte desde os primeiros treinos. A Ferrari fez o que fez, sem esconder de ninguém, às claras e se a decisão do Felipe fosse minha, teria feito a mesma coisa. Ele mostrou que tinha um carro competitivo e que poderia ter chegado aqui na frente afirmou”.

Leia também:  Técnico do União lamenta: “Dava para ir mais longe”

Massa tem bom retrospecto no GP do Brasil, com três poles e duas vitórias, em 2006 e 2008, além de um segundo lugar, em 2007, numa prova em que a Ferrari aproveitou a última rodada de pit stop para inverter sua posição com a de Kimi Raikkonen, que precisava da vitória para ganhar o campeonato. Foi nesta pista que ele venceu pela última vez na F-1, no dia em que Lewis Hamilton superou um adversário na última curva, ganhando a posição que precisava para faturar a taça contra o brasileiro.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.