Mulher de policial morto ao tentar prender um dos terroristas faz homenagem ao marido em memorial que lembra os oficiais vítimas do atentado de 2008 em Mumbai (Foto: Indranil Mukherjee/AFP)

Vítimas do ataque terrorista que matou 166 pessoas em 2008 foram homenageadas nesta segunda-feira (26), na Índia. O atentado, que completa 4 anos, 166 morreram e mais de 300 ficaram feridas, quando militantes islâmicos armados atacaram vários locais em Mumbai, incluindo dois hotéis de luxo, um centro judaico, pontos turísticos e uma estação ferroviária.
Índia faz homenagem a vítimas de atentado que matou 166 pessoas em 2008 (Foto: Indranil Mukherjee/AFP)Mulher de policial morto ao tentar prender um dos terroristas faz homenagem ao marido em memorial que lembra os oficiais vítimas do atentado de 2008 em Mumbai (Foto: Indranil Mukherjee/AFP)

O paquistanês Ajmal Amir Kasab, único terrorista capturado vivo após os atentados de 2008, foi enforcado na quarta-feira (21) na prisão de Pune, no oeste da Índia. Kasab foi condenado à morte por um tribunal especial antiterrorista em maio de 2010, uma sentença que foi ratificada um ano depois, sem que as apelações apresentadas desde então por sua defesa tenham conseguido reverter a decisão.

Leia também:  Criança brasileira com paralisia cerebral faz cirurgia nos EUA e já movimenta as pernas

O comando terrorista que cometeu os atentados em Mumbai era formado por dez paquistaneses, dos quais nove foram abatidos pelas forças de segurança indianas, restando vivo apenas Kasab.

Os terroristas chegaram por via marítima à Índia. A Índia acusou o grupo separatista caxemiriano Lashkar-e-Taiba – que conta com respaldo do Paquistão – de ter organizado os atentados, sem que o Governo de Islamabad tenha reconhecido qualquer envolvimento oficial na execução dos ataques.

A onda terrorista de quatro anos atrás disparou a tensão entre Índia e Paquistão, que disputam a Caxemira desde a independência dos dois países.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.