Tradicional ou alternativa. Sofisticada ou simples. colorida ou monocromática. Não importam modelo, preço ou tamanho. O fato é que sem árvore de Natal a festa não tem a mesma alegria. Um dos mais populares símbolos natalinos, as réplicas de pinheiros e seus enfeites encantam adultos e crianças. Que o diga a pequena Maria Eduarda Fetti, que ontem à noite se deliciava com as luzes, cores e magia vendidas pela gigantesca árvore que decora um dos shopings de Rio Preto.

Para muitas famílias, montar, decorar e iluminar a árvore é uma tradição tão importante quanto a própria ceia de Natal. É o caso da empresária Ada Maria de Assis e Silva, 51 anos. Ela conta que decora sua residência para esta época do ano desde que se conhece por gente. “Na casa dos meus pais já era assim. Reuníamos toda a família para montar nossa árvore de Natal. E sempre fiz questão de manter esse hábito desde que me casei,” diz.

O filho Murilo de Assis e Silva, 22, é seu companheiro na hora de montar a árvore e decorar a casa para o Natal. Ele estuda fora de Rio Preto e, quando chega, os dois começam a se preparar e pensar qual será a novidade do ano.

Leia também:  Incêndio na Biblioteca Municipal de Rondonópolis

“É praxe, no dia 1º de dezembro, a gente se junta para montar toda decoração.” Ela fala que não gosta de montar antes do mês que é celebrada a data, pois acredita que se trata de uma tradição e toda tradição precisa ser seguida ao pé da letra. “Temos que sentir o espírito natalino, pois, além de gostoso, é um momento de confraternização. “Enquanto eu viver e tiver saúde, minha árvore será montada,” completa Ada,

Na casa da funcionária pública Leilane Evangelista, 32, é a mesma coisa. Todo ano, ela e o marido, Carlos Evangelista, 38, reúnem os três filhos pequenos para montar a árvore. “É de lei. No dia 1º de dezembro, faça chuva ou sol, abro o maleiro do guarda-roupas, pego os enfeites e montamos a árvore juntos”, conta ela. “As crianças (Pedro, de 3 anos; Catarina, 5, e Carlos Júnior, 8) ficam na maior expectativa”, completa.

Leia também:  Aproximadamente 6,7 mil pessoas já negociaram dívidas com o município

A grande surpresa preparada para as crianças neste ano é que ela comprou um Papai Noel de pelúcia com o nome de cada uma das crianças escrito no gorrinho. As miniaturas de Noel serão penduradas na árvore. “Eles vão amar.” O decorador Douglas Soler explica que não é difícil montar árvores de Natal e, com criatividade, dá para gastar muito pouco. “É claro, existem de todos os preços. Você consegue montar uma por R$ 100 e ou comprar outra por R$ 3 mil. Depende do bolso e disposição para gastar de cada pessoa.”

Soler acredita que uma bela árvore tem de ter bolas, fitas e luzes. “É importante pensar também nas cores, Toda decoração natalina precisa de vermelho, verde e dourado.” Entre as opções não-tradicionais, são fartas as possibilidades. “Dá para fazer uma bela árvore, por exemplo, com pipoca ou com balas de papel coloridos”, explica ele. Apesar das infinitas possibilidades, Belinha Aydar, gerente da loja Marisa Prado, diz que as árvores que mais vendem são as tradicionais, com laços vermelhos e muito dourado.

Leia também:  Hospital Santa Casa deve receber atrasados nesta quarta (1), diz vereadores

Versão moderna é alemã

A árvore de Natal é uma das mais populares tradições natalinas. Segundo a história, as civilizações antigas que habitaram os continentes europeu e asiático no terceiro milênio antes de Cristo já consideravam as árvores como um símbolo divino. Eles as cultuavam e realizavam festivais em seu favor. Essas crenças ligavam as árvores a entidades mitológicas. Sua projeção vertical desde as raízes fincadas no solo marcava a simbólica aliança entre os céus e a mãe terra.

Há outras versões. Porém, a moderna árvore de Natal teria realmente surgido na Alemanha entre os século 16 e 18. Não se sabe exatamente em qual cidade ela tenha surgido. Durante o século 19, a prática foi levada para outros países europeus e para os Estados Unidos. Apenas no século 20 esta tradição chegou à América Latina. Atualmente, a tradição é comum a católicos, protestantes e ortodoxos.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.