Policiais civis e militares de onze estados da federação iniciam nesta segunda-feira (26.11), curso de “Operações de Inteligência”, no Estado de Mato Grosso. O curso é promovido pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), do Ministério da Justiça, em parceria com a Secretaria Adjunta de Inteligência, da Segurança Pública de Mato Grosso e Diretoria de Inteligência da Polícia Judiciária Civil.

A abertura do curso acontece nesta segunda-feira (26), às 8 horas, no auditório da sede da Polícia Judiciária Civil, na Avenida Coronel Escolástico, em Cuiabá. Participam da capacitação 35 policiais dos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Roraima e Rio Grande do Sul.

Mato Grosso participa com 12 policiais, seis policiais civis e seis militares, que já atuam no setor operacional da atividade de inteligência, sendo dois policiais militares do Grupo Especial de Fronteira (Gefron).

O treinamento será realizado até o dia 8 de dezembro e está dividido em duas frentes. As aulas teóricas serão ministradas na primeira semana, na Academia da Polícia Judiciária Civil, em Cuiabá, e as aulas práticas acontecerão no município de Cacéres, onde os policiais passarão por treinamento com a utilização de embarcações aquática, aeronaves, viaturas, rádios comunicadores, GPS, rastreadores, além de outros equipamentos necessários à atividade de inteligência.

A capacitação integra o Plano Estratégico de Fronteira, no âmbito da Estratégia Nacional de Segurança Pública na Fronteira (Enafron), do Governo Federal, no qual Mato Grosso está inserido, e que prevê um conjunto de ações entre órgãos federais e estaduais, tendo como foco a prevenção, controle e fiscalização dos delitos transfronteiriços e dos praticados na faixa da fronteira brasileira.

Ao todo, o Governo Federal disponibilizou R$ 150 milhões que foram divididos nos 11 estados de fronteira terrestre com os países da América do Sul.

Advertisements
Leia também:  Governo atrasa salário de inativos e aposentados cobram posição da Justiça

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.