O piloto brasileiro da Williams no GP dos Estados Unidos, no último domingo (Foto: AFP)

Durante todo o ano, tudo o que Bruno Senna queria era correr às sextas-feiras. Mas, ao olhar para o cockpit que ocupa nos outros dias de um final de semana de Grande Prêmio, o piloto teve de se acostumar a ver o finlandês Valteri Bottas, reserva da Williams e apontado como seu maior rival na briga por uma vaga na equipe no ano que vem. Ao analisar seu desempenho em 2012, o brasileiro diz que poderia ter diminuído alguns décimos de seu tempo na classificação se tivesse participado de todos os treinos livres da temporada e não apenas dos quatro que pôde andar. Perto do GP do Brasil, o último da temporada, ele reconhece que não será fácil conquistar um lugar no grid em 2013. Ainda assim, diz estar tranquilo.

– Estou negociando. A F-1 é cheia de curvas e dificuldades. Tive muitas conversas, com algumas equipes. Espero definir meu futuro depois do GP Brasil. Claro, estou correndo atrás do prejuízo. Mas acredito que teremos um carro bastante competitivo no ano que vem. Foi um ano difícil, de muito aprendizado. Às vezes, sofrido; outras, gratificante– afirmou o piloto, durante entrevista organizada por um de seus patrocinadores em São Paulo.

Leia também:  Mixto, Dom Bosco e Cacerense viram adversários diretos do União na Copa Federação

O maior problema, ele diz, foi ter tido um rendimento abaixo de seu companheiro, Pastor Maldonado, durante os treinos classificatórios. Bruno tem 31 pontos, oito atrás do venezuelano, que também soma uma vitória na temporada. Ainda assim, o brasileiro tem tido um desempenho mais consistente nas corridas, quase sempre na zona de pontuação.

– É fácil concluir que o maior problema foi na classificação. Mas perdi quase todos os treinos de sexta-feira. Depois de Austin (quando ficou fora do Q3 por dois décimos), vi que faz diferença. Dois décimos podem significar até oito posições atrás no grid. Acho que quando você acaba perdendo parte da experiência, é natural sofrer com isso – disse o brasileiro, que disputou os treinos livres apenas na Austrália, na Malásia, em Mônaco e na Índia, já que Bottas tem contrato com a Williams para andar com o carro da equipe às sextas.

Leia também:  Jaciara receberá a última etapa do 'Circuito Ultramacho' de 2017

Ao final de seu primeiro ano como piloto titular em uma equipe, Bruno Senna admite um ano complicado. Diz que, depois de um início animador, sofreu para encontrar o melhor acerto do carro.

– No início, com todo mundo pegado, tentando encontrar o melhor acerto do carro, tivemos resultados muito bons, como na Malásia (sexto) e na China (sétimo). Algumas coisas me deixaram frustrado, como não correr nos treinos livres. São altos e baixos que criam bastante expectativa para o próximo ano.

Bruno chega ao seu terceiro GP do Brasil. Segundo ele, mais preparado que nunca. Em sua estreia, em 2010, corria pela fraca HRT e pouco pôde fazer. No ano passado, andou pela Lotus, sua primeira equipe competitiva, mas um incidente com Michael Schumacher o empurrou para 17º lugar. Agora, se diz ponto para fazer seu melhor GP.

– Eu estou animado para correr no Brasil. No ano passado, cheguei muito mais despreparado. Agora, tenho muito mais experiência, bagagem, mais carro. Temos marcado pontos constantemente. Quero conquistar uma boa posição, terminar o ano em alta.

Leia também:  Após derrota, Luve tem desafio contra o Oeste

Enquanto tenta fechar o ano com uma boa corrida, Bruno acompanha a definição do campeonato. O brasileiro diz que Sebastian Vettel e Fernando Alonso merecem o título. Ele, no entanto, revela sua torcida pelo espanhol.

– Se você olhar o campeonato, verá que o Alonso venceu corridas com uma Ferrari não tão competitiva. Ele tem o talento de aproveitar o carro ao máximo. Eu nunca desmereceria o Vettel, mas, com o carro em um nível abaixo, ele não foi tão bem sucedido quanto o Alonso.

A uma etapa para o fim da temporada, Vettel lidera o campeonato com vantagem de 13 pontos sobre Alonso. Nesta sexta, o SporTV transmite as duas sessões de treinos livres em Interlagos, às 10h e 14h (de Brasília). No sábado, a terceira parcial livre será às 11h, também no SporTV, e o treino classificatório começa às 14h, com transmissão da TV Globo e do SporTV. A corrida, que definirá o campeão da temporada 2012, será disputada no domingo, também às 14h (ao vivo na TV Globo e no SporTV).

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.