Foto: reprodução

Apesar do valor da tonelada (t) do óleo de soja ter recuado 3,78% ante setembro, quando se registrou o maior pico do ano de R$ 3.117/t em média, o consumidor não deve sentir no bolso redução de preço do derivado da soja nas gôndolas dos supermercados. Hoje, o óleo de soja nos supermercados é vendido em média a R$ 3,45 a embalagem de 900 ml. Em 11 meses a tonelada do óleo de soja em Mato Grosso registrou alta de 20%, estando hoje cotada em média a R$ 2.999. Em janeiro custava cerca de R$ 2.398/t.

Consumidor revela ter reduzido a utilização devido ao alto preço. De acordo com o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), o menor pico ocorreu em fevereiro, quando registrou-se média de R$ 2.374/t, entretanto a partir de março viu-se constantes altas até atingir R$ 3.117/t, valor inclusive 22% superior a setembro de 2011. “O óleo de soja registrou altas por acompanhar os preços do grão da soja. A partir de outubro começou a recuar devido a oleaginosa ter retraído de preço. A previsão é que a queda chegue ao consumidor, mas não agora, pois para ele quando aumenta é rápido e quando cai é de forma lenta”, comenta o diretor-executivo da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Seneri Paludo.

Leia também:  MT | Captação do leite sofre queda de 5,86 pp

O presidente da Associação dos Supermercados de MT (Asmat), Kássio Catena, confirma o fato. “Antes de janeiro os preços do óleo de soja não devem baixar, ou seja, somente após o início da colheita podemos ver queda de preço do produto, isso se as chuvas não atrapalharem os trabalhos de retirada do grão das lavouras”.

Catena comenta que a média de preço da embalagem de 900 ml de óleo de soja é R$ 3,45 podendo chegar a R$ 3,69 dependendo da marca. “Na oferta é possível encontrar na faixa de R$ 3,15”.

O alto preço do óleo de soja fez com que certos hábitos alimentares da população fossem alterados. Na casa da terapeuta Helena Amin a fritura foi reduzida. “Antes, fazia batata frita direto, agora é mais assada. Gastava em média uma embalagem para fritar. Carnes seguem normalmente o consumo, pois é uma gota de nada que coloco na panela”.

Leia também:  Primeiro mês registra queda de 43% no número de focos de calor
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.