Dois jornalistas profissionais e dois cidadãos-jornalistas foram mortos em uma semana na Síria pelo Exército regular, por rebeldes e pelas milícias curdas, informou nesta sexta-feira (23) a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), em um comunicado.

Citando a agência oficial de notícias Sana, a ONG indicou que um jornalista da televisão estatal, Bassel Tawfiq Youssef, foi morto quarta-feira no bairro de Tadamoun, no sul de Damasco. A agência atribuiu sua morte a ‘terroristas’, termo utilizado pelo regime para designar os rebeldes contrários ao regime do presidente Bashar al-Assad.
saiba mais

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informou, por sua vez, que o repórter foi morto por rebeldes, que o acusaram de pertencer aos ‘shabbihas’, milícias civis pró-regime.

Leia também:  Imigrantes são encontrados mortos em embarcação na Itália

Além disso, segundo a RSF, citando a Associação Síria de Jornalistas (AJS), o cidadão-jornalista Hozan Abdel Halim Mahmoud, membro da rede Syria Stamp, foi morto na terça-feira em Rass Al-Ain, nordeste, pelas forças de segurança do Partido Curdo da União Democrática (PYD), enquanto filmava confrontos entre os rebeldes curdos e rebeldes.

Ele tinha sido muito ativo na cobertura de manifestações em Qamishli.

Domingo, Mohammed al-Khaled, cidadão-jornalista de Homs (centro), foi executado pelo batalhão Namr da brigada Diraa Al-Shahba em Aleppo, por suas críticas à gestão do batalhão da cidade.

Além disso, a AJS indicou que Abdullah Hassan Kaake, “ativista da informação”, foi morto depois de ser submetido à tortura pela Inteligência Militar em Aleppo (norte), no sábado.

Leia também:  Médicos Chilenos são filmados comemorando partida de futebol durante cirurgia

A RSF observa que, desde o início do conflito, pelo menos 15 jornalistas e 41 cidadãos-jornalistas foram mortos na Síria.

Na segunda-feira, Mohammad Al-Zaher, cidadão-jornalista conhecido como Abu Nasser Naimo, foi morto em um bombardeio em Al-Bouaida, no subúrbio de Damasco. Na última sexta-feira, Mustafah Kerman, militante da liberdade de expressão em Aleppo não resistiu aos ferimentos sofridos durante um bombardeio em Bustane al-Qasr em Aleppo.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.