Faltando pouco menos de dois meses para o início do Campeonato Mato-grossense de 2013, algumas incertezas rondam os times do Estado. Apesar da tabela de confrontos entre os dez times da primeira divisão e do regulamento já terem sido divulgados pela Federação Mato-grossense de Futebol (FMF), muitos times ainda não confirmaram suas participações. O principal motivo seria a falta de apoio e de dinheiro.

Na última semana, dirigentes de alguns clubes se reuniram com representantes da federação para apresentar iniciativas para tentar “salvar” o futebol mato-grossense. A ideia imposta seria da criação de uma associação com autonomia para negociar patrocínio e gerir a parte promocional da competição, com estratégias de mídia, a fim de atrair investidores para o futebol do Estado. Porém, o vice-presidente, João Carlos de Oliveira, confirmou, durante a reunião, que a federação havia assinado um contrato de patrocínio com a General Motors. Uma semana após a afirmação, assessores da empresa confirmaram que não havia acordo nenhum e, que não foi assinado nenhum contrato de patrocínio. Os clubes cobram ainda a verba atrasada, que deveria ser repassada pelo governo do Estado, este ano.

Leia também:  Federação realiza arbitral após desistências em série

Além dos problemas financeiros e a falta de apoio da FMF, os times que disputarão o estadual do próximo ano estão sofrendo com problemas internos e, até mesmo, a falta de diretores. Sem a direção, não há jogadores e comissão técnica contratados. Os dez times inscritos para a competição são Atlético Campoverdense, Cacerense, Cuiabá, Luverdense (atual campeão), Mato Grosso, Mixto, REC, Sinop, União e Vila Aurora.

O Atlético Campoverdense não confirmou sua participação, já que ainda não possui equipe e nem comissão técnica, devido a falta de dinheiro. Segundo a direção, se não houver ajuda de patrocinadores ou até mesmo do governo, será difícil a equipe de Campo Verde entrar em campo. O Mato Grosso (antigo Palmeiras) também está em busca de patrocínio para montar o time e depende de orçamento para decidir seu rumo na competição.

Leia também:  União tem desafio diante do Luverdense em Lucas

O Sinop Futebol Clube, campeão da segunda divisão, só definirá questões de contratos e reapresentações, quando houver a eleição da nova diretoria, marcada para o início do mês que vem. Portanto, o planejamento só será feito pela nova direção.

O Mixto, mesmo após ter conquistado a Copa Mato Grosso, vive uma fase de incertezas, já que um conselho gestor poderá assumir o comando do clube. Não há ainda um planejamento sobre o ano de 2013. O Vila Aurora tem a intenção de se licenciar do campeonato para reestruturar sua equipe e voltar para as competições apenas em 2014. O clube está até mesmo aberto para propostas de terceirização. Se não houver interessados, o Vila Aurora poderá pedir seu afastamento da FMF. Já o União segue sem candidatos à assumir sua direção e seu futuro também segue incerto.

Leia também:  Rodada "madrasta" coloca Luve de volta ao Z-4

O Cacerense confirmou sua participação no certame e, garantiu a permanência do técnico Marcos Birigui, bem como, pelo menos, dez jogadores que disputaram a segunda divisão do estadual e a Copa Mato Grosso. Pelo Cuiabá, a falta é de técnico, já que nenhum nome foi cotado para assumir o “Dourado” até o momento. A presença do time da capital está garantida, bem como a permanência da grande maioria dos jogadores. O atual campeão, Luverdense, já renovou contratos de boa parte do time e se reapresenta no dia 3 de janeiro.

O campeonato começa no dia 20 de janeiro. O Sinop estreia em casa contra o Cacerense. Completando a rodada de abertura, se enfrentam Luverdense e Cuiabá; Vila Aurora e Mixto; Atlético Campoverdense e União; e Mato Grosso e REC. O campeão, de acordo com o regulamento, representará Mato Grosso no Campeonato Brasileiro da Série D de 2013 e da Copa do Brasil de 2014.

 

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.