Sete policiais militares que foram eleitos em outubro deste ano permanecem licenciados dos quadros da Polícia Militar de Mato Grosso e recebendo sem trabalhar até a diplomação. A determinação é do comandante-geral da PM no Estado, coronel Osmar Lino Farias por meio de portaria publicada no Diário Oficial. Por terem mais de 10 anos de serviços prestados, todos eles têm direitos ao afastamento remunerado em virtude de terem disputado as eleições 2012.

Eles foram agregados (licenciados da PM para disputar o pleito) desde 5 de julho, mas outra portaria publicada em outubro determinou que eles permanecem agregados desde 9 de outubro até o ato de nomeação em janeiro de 2013. Como uma espécie de “brinde” por terem sido eleitos, “ganharam” mais três meses sem trabalhar, em relação aos derrotados nas urnas, totalizando 6 meses de afastamento com salários garantidos. Coronel Pery Taborelli é um dos 7 policiais eleitos em 2012 que ficam 6 meses recebendo sem trabalhar.

Advertisements
Leia também:  Valtenir se afasta da Câmara e deve se dedicar ao PSB

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.