Termina nesta sexta-feira (30) o prazo para os pecuaristas mato-grossenses vacinarem os rebanhos bovinos e bubalinos, desde mamando a caducando. A meta estadual é atingir aproximadamente 29 milhões de animais e, após o prazo, os criadores terão até dia 10 para realizarem as comunicações em alguma das unidades do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado (Indea).

Em caso de não vacinação do rebanho o procedimento deve ocorrer de forma assistida (com a presença de fiscais do Indea), além do criador ser multado. Até o momento o instituto não informou parciais da campanha. O resultado deve ser divulgado apenas após o período de comunicações.

A segunda etapa começou no dia 1º deste mês, com foco principalmente voltado a área de fronteira com a Bolívia. Nesta região, a estimativa é que imunização atinja aproximadamente 441,7 mil animais distribuídos entre cerca de 800 propriedades localizadas em municípios como Cáceres, Vila Bela da Santíssima Trindade e Porto Esperidião.

Leia também:  Confira as vagas de emprego desta segunda (07/08/17) em Rondonópolis

Mato Grosso está há 17 anos sem registros da doença. Na primeira etapa, realizada no primeiro semestre do ano, cerca de 99% da meta ( que era imunizar cerca de 12,2 milhões de cabeças) foi cumprida.

A Febre Aftosa é uma doença contagiosa que pode atingir bovinos, bubalinos, ovinos, caprinos, cervideos entre outros. É caracterizado pela formação de vesículas e ulceras na mucosa oral e nasal, na teta e entre os cascos. A doença é causada por um vírus que se dissemina rapidamente pelo meio ambiente, através do contato com objetos (ferramentas, botas, veículos, ar e água) e animais infectados.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.