Foto: Getty Images

Velocidade Fernando Alonso ainda estava no pódio, falando com Nelson Piquet sobre a frustração de não ter ganhado seu terceiro título, quando Sebastian Vettel deixou os boxes da Red Bull ao som de “We Are The Champions” e entrou no escritório da equipe.

Depois de receber a visita de Bernie Ecclestone e falar com as TVs do mundo todo, o mais jovem tricampeão da história da F-1 ainda foi convocado a participar de uma entrevista coletiva oficial promovida pela FIA. Sentou-se na bancada reservada aos pilotos que haviam subido no pódio e fechou os olhos.

Só abriu quando ouviu a primeira pergunta. Ainda emocionado, demorava a achar as palavras para descrever seus sentimentos. Mas não perdeu a chance de alfinetar Alonso e sua Ferrari.

Leia também:  Cuiabá Arsenal embarca em busca de vaga na final do brasileiro

“É difícil comparar os títulos, mas este foi bem difícil porque foi uma temporada de altos e baixos, não tínhamos o melhor carro e muita gente tentou nos derrubar de vários jeitos, dentro e fora das linhas”, disse o piloto alemão.

“Mas acho que o mais importante é você se olhar no espelho e estar feliz com o que você vê. Fui criado para ser honesto e acredito que há uma razão para termos conseguido o sucesso que conseguimos. Não quero dizer que sou um santo, mas acho que o importante é nos focarmos em nós mesmos porque o que os outros fazem não está em nossas mãos”, completou Vettel, que pediu desculpas pelas longas respostas dadas.

Leia também:  União aposta em Ricardo para bater o Cuiabá

O piloto alemão da Red Bull, que terminou o campeonato com apenas três pontos a mais que Alonso (281 a 278), apesar de ter conquistado cinco vitórias contra três do ferrarista neste ano, afirmou que o GP Brasil foi a corrida mais difícil das 101 que já disputou na F-1.

“Não foi nem por ser a última corrida da temporada ou por ter sido a que definia o título, mas foi por tudo que deu errado. Simplesmente tudo que podia acontecer, aconteceu”, declarou o alemão.

“Eu fui acertado logo na largada, caí para último, o rádio do meu carro não funcionava direito e a equipe não conseguia me ouvir. Eu acabei fazendo um pit stop a mais do que precisava porque começou a chover uma volta depois que eu tinha feito a minha parada. Enfim, acho que chegar em sexto no fim não foi de todo ruim”, completou.

Leia também:  Circuito de Tênis começa nesta quarta em Cuiabá

Tendo conquistado seus três títulos em três circuitos diferentes –Abu Dhabi em 2010, Suzuka em 2011 e Interlagos, ontem–, Vettel falou ainda da dificuldade de manter os pés no chão depois de fazer tanto sucesso em um período de tempo tão curto.

“Me disseram uma vez que o mais difícil é vencer depois de vencer. E é verdade. Você corre o risco de perder o foco e esquecer como chegou lá”, declarou o tricampeão.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.