Fim da linha para Bruno Senna na Williams. A equipe inglesa anunciou, nesta quarta-feira, Pastor Maldonado e Valtteri Bottas como pilotos titulares na temporada 2013. Com isso, o brasileiro precisará procurar um outro cockpit para permanecer na categoria no próximo ano. Bruno tem conversas com Force India, Caterham e Marussia e diz que revelará seus planos em breve.

Reserva do time desde 2010, o finlandês Valtteri Bottas cumpriu um intenso programa de testes em 2012 participando das primeiras sessões de treinos livres em 15 das 20 etapas.

A escolha da dupla da Williams foi encarada com naturalidade por Bruno, que já esperava a notícia. Quando assinou com o time inglês, o piloto brasileiro sabia que Bottas estava sendo preparado para assumir uma vaga no time futuramente.

Leia também:  Copa Federação pode ter jogos às segundas

– Desde o início do calendário, aceitei o fato de que teria de compartilhar o carro com o Bottas em 15 sextas-feiras como parte de sua preparação a uma possível estreia em 2013

Mesmo com o prejuízo causado pela redução do tempo de pista nos treinos livres, que refletiu principalmente nas sessões classificatórias, Senna fez um balanço positivo de seu terceiro ano na F-1. O piloto também guiou na pequena HRT em 2010 e disputou as oito últimas etapas de 2011 pela Renault-Lotus. Em 2012, Bruno terminou em 16º, com 31 pontos, uma posição atrás do companheiro Maldonado, que fechou o ano com 45.

– Conquistei marcas significativas, como a melhor volta no GP da Bélgica, e sempre ganhei posições nas corridas. Correr regularmente entre os Top 10 foi um passo à frente em minha ainda relativamente curta carreira e me permitiu desenvolver minhas habilidades. Trabalhar com uma equipe tão competitiva e que sempre me apoiou me deixou melhor preparado para meus próximos passos. Foi gratificante terminar como o pontuador mais regular da equipe e poder demonstrar meu ritmo em 20 provas – disse Senna, que pontuou em dez das 20 etapas, enquanto o venezuelano chegou entre os dez primeiros em apenas cinco, porém, venceu o GP da Espanha.

Leia também:  FMF confirma participação na Copa do Brasil de Seleções Estaduais Sub-20 da CBF

Apesar da dispensa, Bruno fez questão de demonstrar gratidão especial a Sir Frank Williams, co-fundador e chefe da tradicional escuderia inglesa.

– Quero agradecer a toda equipe, em particular a Frank Williams, por me dar a oportunidade de completar minha primeira temporada completa na F-1. Foi gratificante ajudar a transformar o FW34 num carro competitivo e superar outros desafios, como lidar com os pneus Pirelli.”

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.