O presidente palestino Mahmoud Abbas (centro) se encontrou hoje com o presidente turco Abdullah Gul (esq.)

Presidente da Autoridade Palestina, Mahmud Abbas, ameaçou ontem terça-feira (11), na Turquia, recorrer à Corte Penal Internacional (CPI) caso Israel aplique seu polêmico projeto de colonização na região de Jerusalém Oriental.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, anunciou a construção de 3.000 residências na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental, especialmente no setor E1, próximo a Jerusalém, em retaliação ao status da Palestina como Estado observador das Nações Unidas, obtido em 29 de novembro passado.

Se este projeto for efetivado, ele unirá a colônia de Maalé Adumim aos bairros de colonização judaica já existentes em Jerusalém Oriental, dividindo a Cisjordânia e isolando a Cidade Santa, comprometendo a viabilidade de um futuro Estado palestino.

Leia também:  Empresário opta ir nadando para o trabalho para evitar stress do trânsito

A comunidade internacional, em particular a União Europeia, condena o projeto.

“Se os israelenses escolherem a paz, estaremos prontos, mas se optarem pelas colônias, especialmente a E1, temos outras opções”, explicou Abbas em entrevista coletiva ao lado do presidente turco, Abdullah Gul, em Ancara.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.