O Tribunal do Júri acolheu a tese defendida pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Rio Branco, e condenou Valdeir de Souza a 18 anos e nove meses de prisão por homicídio qualificado praticado contra a sua esposa, Elizabete Alves Coelho. A vítima foi atingida por golpes de faca no dia 07 de novembro de 2011, por volta das 10h, em frente a Escola Rangel Torres.

De acordo com o promotor de Justiça, José Jonas Sguarezi Junior, o júri foi realizado após várias tentativas de adiamento. Na primeira sessão de julgamento houve abandono de plenário por parte da defesa do réu, seguido de um não comparecimento da segunda sessão designada e de um pedido de desaforamento indeferido pelo Tribunal de Justiça.

Leia também:  Servidores da Mata Grande e do estado fazem paralisação por não cumprimento de promessas de Taques

O réu, segundo ele, encontra-se preso e não poderá recorrer da sentença em liberdade. “Os jurados reconheceram que o crime foi cometido por motivo torpe. O comportamento da vítima não contribuiu para a prática delituosa e as consequências do ilícito foram graves, sendo que os três filhos da vítima, de tenra idade, foram privados do convívio materno”, ressaltou o promotor de Justiça.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.