Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Um dos hábitos de higiene íntima mais comuns, a depilação vem se aprimorando ao longo dos séculos embora, até hoje, ninguém tenha inventado algo que elimine a dor de quem opta por deixar sua pele lisinha. O sofrimento vem de longe: há registros de que Cleópatra, considerada a musa da estética, já tirava seus pelos com tecidos finos banhados em mel e cera quente.

— A mulher brasileira é vaidosa, sedutora e aprecia mostrar o corpo. Além disso, depilação aqui sempre foi sinônimo de higiene e beleza. É uma postura cultural e que afeta quase que 100% das mulheres — afirma Carla Cristina da Rosa, professora do Serviço Nacional do Comércio (Senac), um dos que mais formam profissionais em território nacional.

Trata-se de um legado cultural. Na Europa, por hábitos de higiene, até a frequência do banho é diferente.

— Ainda é muito usado o banho de imersão. Nesse caso, sem a proteção dos pelos, os riscos à saúde são maiores — lembra Carla.

A depilação com cera quente – preferência da maioria, por deixar a pele macia e eliminar os pelos por mais tempo —, é mais do que uma especialização nos cursos técnicos de estética. Conseguir extrair com perfeição os indesejáveis cabelinhos das pernas, buço, virilha e demais centímetros quadrados das curvas do corpo feminino requer prática e habilidade. Além disso, é preciso conquistar a cliente:

— A gaúcha é a mais exigente de todas. Ela quer hora marcada, diferentemente de cidades como o Rio de Janeiro, onde há um centro especializado nisso a cada esquina e não precisa de agenda, pois é verão o ano todo. A gaúcha precisa ser conquistada pela profissional — afirma Luciana Carpegiani, proprietária da Depillèr Centro de Depilação.

Um dos grandes prós da depilação com cera quente é que o processo evita a formação de tampão (pequenas rolhas da própria pele), que impede a saída do novo pelo e pontos de infecção.

— Quando os pelos são retirados com cera quente e pela raiz, nascem mais finos, e a depilação não causa coceira ou qualquer irritação. O mesmo não acontece quando a depilação é feita com lâmina de barbear, já que os pelos engrossam e, ao romperem a pele, podem irritá-la — afirma Orlanda Gomes Machado, proprietária da Pêllo 100.

Porém, não é só graças a cera que as peles lisinhas surgem no horizonte das praias gaúchas: lâminas, cremes, aparelhos elétricos ou laser também fazem parte do arsenal delas — e, claro, deles, já que os homens estão aderindo cada vez aos métodos. Basta frequentar uma academia para contar, nos dedos, quantos homens (sobretudo os mais jovens, abaixo de 30 anos), que exibem tórax peludos.

Leia também:  Conheça as tendências de acessórios que são a aposta do momento | Moda e Beleza

Para Eliandre Costa Palermo, diretora da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), “é preciso entender qual o melhor processo e forma de cuidar da pele na hora de remover temporária ou definitivamente os pelos, para evitar contratempos”.

Cera, a preferida

A cera quente ou fria é a predileta de quem quer deixar o corpo liso como bundinha de bebê. As duas são bem parecidas, mas a cera em temperatura mais alta dói menos do que a fria, já que ocorre a dilatação do folículo, tornando mais fácil de o pelo sair. Há alguns cuidados que devem ser tomados, segundo a especialista em depilação Ângela Brazeiro, da Mezzo Dermocosméticos.

— Para não encravar, sugiro fazer uma esfoliação dois dias antes com produtos específicos ou com uma bucha vegetal, que desobstruem os poros — afirma.

Outra recomendação valiosa é não repetir a sessão num prazo menor de 28 dias, que é aproximadamente o tempo que a pele demora para se recompor.

Laser neles!

Não existe depilação definitiva, mas há como reduzir o crescimento do pelo em 80% a 90% após o término do tratamento, dependendo da técnica escolhida. Os pelos, no entanto, permanecerão ali, mesmo que mais fracos, como uma penugem, sendo necessários, em alguns casos, até duas sessões por ano. O resultado, ainda assim, vale a pena. Tanto que até os homens estão aderindo a técnicas como a foto depilação por luz pulsada e a depilação a laser.

Ambas se baseiam na luz para a destruição do bulbo capilar, porém, como o laser é uma lux com feixe reto, focado na célula alvo, a intensidade de sua onda atinge células germinativas da raiz dos pelos. É um método mais eficaz, já que impossibilita que o pelo nasça e cresça por muito mais tempo. A foto depilação é uma luz difusa de baixa intensidade, com vários comprimentos de onda, que têm efeito de enfraquecer e debilitar o pelo, mas não destroem as células germinativas — daí a necessidade de manutenção maior.

— O organismo tem a capacidade de produzir novas raízes e bulbos que dão origem a novas hastes, que para serem eliminados precisarão de novas sessões.

Métodos indolores

Sim! Há como não parecer a Chaka (célebre personagem do seriado O Elo Perdido, dos anos 80) sem sair de casa. Saiba mais sobre os métodos mais usados pelas mulheres.

Leia também:  Batons nude e de cores fortes marcam a maquiagem durante o inverno | Moda e Beleza

— Lâmina

Não faltam opções de boas lâminas no mercado, especiais para as curvas femininas e com fitas lubrificantes. Porém, há alguns macetes para que o pelo seja eliminado com mais facilidade. Um deles é deixar a parte a ser depilada sob água morna por cerca de cinco minutos, abrindo os poros e preparando a pele para a extração dos pelos.

Outra boa dica é usar um gel ou creme próprios, para que a lâmina deslize com suavidade. Faça os dois movimentos: de cima para baixo e de baixo para cima, da esquerda para a direita (ou vice-versa). Assim, todos os pelos saem com perfeição. E evite, ao máximo, depilar a virilha com este método.

— Cremes depilatórios

Pode ser usado sem problemas desde que a pessoa faça um teste de sensibilidade com o produto e não apresente nenhuma alteração na pele após 24 horas. Os cremes funcionam com agentes químicos que agem sobre a queratina (camada que envolve e protege o pelo), corroendo a sua base e soltando-o.

Depois, é só passar uma esponja ou bucha na pele para que os fios caiam. O efeito é semelhante ao da lâmina, ou seja, não elimina o pelo pela raiz. Nesse caso, o processo de crescimento é tão rápido quanto no outro método — com a vantagem de não ser tão agressivo à pele.

Só para fortes

Os aparelhos elétricos de depilação (há várias marcas no mercado) funcionam muito bem, sim: como o aparelho puxa o fio pela raiz, o resultado da depilação, assim como o da cera, dura cerca de 20 dias. O problema é que, dependendo do formato do equipamento, não dá para usar na virilha. Segundo quem já experimentou e não conseguiu repetir a dose, é para mulheres fortes.

Encravou. O que eu faço?

Mulheres com pelos que nascem enrolados ou que têm hormônios masculinos em níveis elevados são as principais vítimas desse problema. No primeiro caso, o formato do fio faz com que ele se enrole, dificultando o rompimento da pele e deixando-o sob o tecido. Como não é possível modificar essa característica do pelo, a solução é investir em cuidados preventivos: uma semana antes de depilar, aplique um esfoliante leve, dia sim, dia não. Onde os pelos costumam encravar, aplique um creme com ácido salicílico 10 dias antes da depilação, que ajuda a descamar a pele. No segundo caso, o nível hormonal pode estimular a produção excessiva de sebo, que costuma obstruir a saída do pelo, aumentando a possibilidade de encravá-lo. Identificada a alteração hormonal, é possível resolver o problema.

Leia também:  Quatro sapatos confortáveis para ir a um casamento

Brazilian Wax

Você já ouviu esta expressão? Citada como a quinta maravilha do mundo até pela mega-hiper-descolada Carrie, do seriado Sex and The City, a expressão Brazilian Wax surgiu no coração de Mahattan. Trata-se de um método criado pelas sete irmãs capixabas J. Sisters (Jocely, Jonice, Joyce, Janea, Jussara, Judseia e Juracy), que viraram milionárias em Nova York ao abrir um salão especializado no que poderíamos descrever como “tirar tudo (da virilha) e deixar só um bigodinho”.

Celebridades como Naomi Campbell, a angel da Victoria Secret’s Adriana Lima, Cameron Diaz, Lindsay Lohan, Gwyneth Paltrow, entre outras, não hesitam em garantir seus horários – para as simples mortais, é preciso ligar com, no mínimo, três semanas de antecedência para conseguir uma sessão.

Em entrevista recente, uma das sisters, Jonice, contou que muitas clientes, depois da depilação, se sentem “com um pouco da sensualidade da mulher brasileira”, um símbolo nacional que as irmãs souberam capitalizar como pouca gente.

Eles também querem ficar lisinhos

Grande parte dos machões de carteirinha está aderindo à moda da depilação, sobretudo no verão, quando querem desfilar músculos sem tufos de pelo na praia. Os métodos com cera e a laser são os preferidos. Em uma das mais de 300 unidades da Não+pelo no Brasil (a maior rede de foto depilação), os homens já representam 40% dos atendimentos.

— É uma opção muito procurada, principalmente no verão. A preferência deles é por fazer barba, peito e costas. Além de cada vez mais vaidosos, os homens de hoje também buscam a praticidade e procedimentos indolores — afirma Nadja Garcia, coordenadora regional de Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Para os que fazem com cera, o hábito demora um pouco a ser assimilado com naturalidade.

— No começo, eles ficam meio envergonhados, mas logo vão se soltando. Os homens são tão vaidosos quanto as mulheres, ou até mais. Os preconceitos quanto à depilação estão caindo, graças a Deus — enfatiza Simone Alves, depiladora há 26 anos.

Alex Menezes Peral, franqueado da D’Pil, afirma que 50% dos homens que procuram o serviço o fazem a pedido das mulheres:

— Eles não ligam mais a masculinidade ao pelo e já sabem que as mulheres estão preferindo aqueles que não são peludos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.