Beber água faz bem para a saúde. Disso as pessoas sabem. Mas nem todo mundo dá a importância necessária de que se deve ingerir, por exemplo, pelo menos dois litros de líquidos por dia. Ainda mais no verão, uma época tão quente do ano, quando o corpo precisa estar ainda mais hidratado para manter todas suas funções saudáveis.

A opção mais simples e barata é a própria água, que está presente em cerca de 70% do corpo humano. Ela é responsável por participar dos processos renal, cardiovascular e respiratório, controlar a temperatura corporal, atuar no transporte de nutrientes e no descarte de substâncias desnecessárias ao organismo.

O processo digestivo também ganha benefícios diretos da ingestão correta de água, explica o nutricionista esportivo Gabriel Cairo Nunes, de São Paulo. Em quantidades adequadas, a água melhora a absorção de nutrientes, acelerando o trânsito estomacal.

A água é ainda um auxiliar na formação do sangue e de novos vasos, melhora a qualidade das células, veias e artérias vasculares, equilibra os batimentos cardíacos e tem ação reguladora nas causas da hipertensão.
Esses são benefícios “invisíveis”, mas também há outros mais perceptíveis a olho nu.

Por isso, quem quer manter a pele bonita, não basta apenas usar protetores solares e hidratantes. Os dois são essenciais, mas beber água tem papel decisivo no aspecto da pele. “Ela (água) garante a hidratação e favorece a absorção dos nutrientes necessários ao seu equilíbrio. Se a água é perdida, a pele sofre desidratação, tornando-se áspera e favorável ao envelhecimento”, conta Nunes.

Leia também:  Jack Johnson fará dois shows no Brasil em novembro

“A água tem papel regulador no nosso organismo e quando a célula (da pele) está hidratada, ela aproveita melhor todos os substratos que são essenciais para sustentar o tecido, além de ajudar na eliminação das toxinas”, complementa a nutricionista clínica Rosemeire Rosângela da Silva, de São Paulo.

Associada a todas às funções metabólicas, a água também é fator decisivo em outro problema que muitas pessoas sofrem: os inchaços. “Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o edema (inchaço) acontece quando estamos desidratados, porque o organismo retém os líquidos que estão entre as células para compensar a falta de água”, informa a nutricionista. Quem ingere pouca água tem mais probabilidade de ter cãibras, fadiga e cansaço físico.

Idosos retêm menos água

A recomendação tradicional de ingerir dois litros de água por dia pode ser aumentada quando se trata de dias mais quentes. Da mesma forma, alguns grupos de pessoas precisam ficar atentos a essas orientações, por terem naturalmente menos quantidade de água no corpo e mais facilidade para perdê-la, provocando a desidratação.

Leia também:  Bebê nasce com quase 6 quilos e vira atração em maternidade de Cascavel

Os idosos, por exemplo, diminuem a proporção de água no organismo para 40% a 50% do peso corpóreo, quando o normal é 70%. “Eles tendem a perder soluções isotônicas para o exterior celular e ingerem menor quantidade de líquidos e também são mais vulneráveis à perda de água que indivíduos jovens”, explica o nutricionista esportivo Gabriel Cairo Nunes.

No caso da perda das soluções isotônicas, o corpo precisa eliminar mais eletrólitos. Contudo, com o envelhecimento, os rins e as glândulas endócrinas diminuem a capacidade de fazer alguns ajustes, como este para manter a água em níveis de hidratação no organismo. Idosos com arteriosclerose (processo degenerativo da parede das artérias) também sentem menos sede, repondo menos líquidos.

Mulheres e obesos

As mulheres pertencem a outro grupo que merece cuidado com a hidratação. Em relação aos homens, elas também têm menos proporção de água no corpo, afirma Nunes, por ter mais tecido adiposo que os representantes do sexo masculino. Os obesos também têm a mesma lógica, se comparados a pessoas magras. “Não se justifica, por isso, a terapêutica de se buscar emagrecimento utilizando-se diurético.

Os diuréticos promovem nos obesos perda de água, que já é naturalmente reduzida, podendo levar a risco de morte”, alerta o profissional.
“Beber no mínimo 8 copos de água por dia é importante porque esta água nada mais é do que a reposição daqueles líquidos que perdemos na respiração, no suor e na urina. Sem água, não há vida”, destaca a nutricionista clínica Rosemeire Rosângela da Silva.

Leia também:  Quatro dicas para cuidar da pele dos cães durante o frio

Vantagens no trato urinário

A falta da quantidade recomendada de líquidos é responsável por atrapalhar o funcionamento dos órgãos e sistemas no corpo humano. Problemas nos rins para pessoas que têm um dieta com pouca ingestão de água são bem comuns, atacando não somente esses órgãos, mas a bexiga também.

O nutricionista esportivo Gabriel Cairo Nunes explica que a água facilita a retirada das impurezas do sangue, atuando diretamente sob os rins e a bexiga. Consequentemente, é um processo simples, que evita a formação de cristais que podem se transformar em cálculos renais – ou as conhecidas ‘pedras’ de rim.

“No caso de já existirem cálculos, ajudará a dissolvê-los em pequenos fragmentos que são facilmente eliminados pela urina. A água também auxilia na purificação do plasma sanguíneo, mandando toxinas embora e inibindo a proliferação de agentes patogênicos, como vírus e bactérias, prevenindo afecções renais e da bexiga, como nefrite e cistite”, conclui Nunes.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.