O prefeito eleito de Rondonópolis, Percival Muniz (PPS), e o vice, Rogério Salles (PMDB), se reuniram ontem (10) com os representantes do Consórcio Regional de Saúde e também com os prefeitos eleitos de Pedra Preta, Mariledi Coelho Araújo Phillipi (PDT), e Jaciara, Ademir Gaspar de Lima (PT), para discutir a eleição da nova diretoria e a composição do órgão para próximo biênio (2013/14). Rondonópolis deixou o Consórcio há dois anos depois que o então prefeito, José Carlos do Pátio, reclamou da falta de apoio e da forma como o órgão estava estruturado.

“A situação hoje é outra. Houve um enxugamento na folha de pagamentos, reduzindo o quadro para apenas seis funcionários. Também conseguimos equilibrar a situação financeira, mas a ausência de Rondonópolis complica muito. A cidade representa praticamente 40% da região”, explicou a secretária executiva do Consórcio Regional de Saúde, Eulice Idalina de Almeida.

Leia também:  Vereador vai à Cuiabá procurar parcerias entre os poderes

Conforme a secretária, o maior problema hoje é o atraso nos repasses devidos pelo Governo do Estado. A regra prevê que os município têm direito a receber de volta 50% do que for aplicado no Consórcio de Saúde, mas desde abril deste ano o Estado não faz os pagamentos.

Percival e Rogério pediram mais informações sobre a situação e disseram que o município poderá voltar ao Consórcio desde que haja algumas mudanças no regimento. Os gestores rondonopolitanos cobram mais transparência, querem alterações na forma de pactuação visando atender problemas específicos e também defenderam que a presidência do Consórcio seja ocupada por um representante do município sede (Rondonópolis).

Uma das mudanças regimentais deverá envolver a troca da data da eleição, que passaria a acontecer em janeiro. “É uma forma de evitarmos o que ocorrerá agora, quando muitos prefeitos eleitos ficarão impedidos de participar do processo”, defendeu Muniz.

Leia também:  Neuma ganha força e ajuda Pátio a tomar decisões

A prefeita eleita de Pedra Preta, Mariledi Philipi, concorda com a sugestão. Ela ainda não sabe se poderá participar da eleição dos novos diretores do Consórcio porque a prefeitura de Pedra Preta está inadimplente. “Como os prefeitos eleitos ainda não tem autonomia administrativa, ficamos a mercê dos gestores que estão em fim de mandato. Se mudarmos a escolha para janeiro esse problema estará superado”, acredita.

Positivo
Segundo Muniz, a decisão sobre a volta de Rondonópolis ao consórcio deverá ser tomada no ano que vem, mas o município será representado na eleição do próximo dia 21 pelo vice-prefeito Rogério Salles, que atuará como observador.

O resultado da reunião foi considerado positivo pelos representantes do Consórcio. Para eles, está claro que há caminho para o diálogo. “Teremos outras conversas e estamos otimistas. Achamos muito importante o retorno de Rondonópolis, até porque é aqui onde estão concentrados os atendimentos de média e alta complexidade. Vamos continuar conversando”, declarou Eulice Idalina.

Leia também:  Portaria confirma Alencar como procurador-adjunto

Também participou da reunião o secretário municipal de Saúde de Jaciara, Edinaldo Fernando de Souza.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.