A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga a situação administrativa, financeira, contábil e operacional do MT Saúde, convocou para a próxima quarta-feira (05) os últimos gestores do Plano para prestarem esclarecimentos à comissão.

As oitivas serão realizadas com o atual presidente do MT Saúde Gelson Esio Smorcinski, Augusto Amaral que além de presidir a autarquia foi ex-gestor da pasta da Saúde, Professor Maximiliam Mayolino Leão que presidiu o MT Saúde por sete meses. Cada um dos convocados terá uma hora para prestar esclarecimentos e responder as dúvidas da comissão. As oitivas serão realizadas a partir das 14 horas no Auditório Licínio Monteiro.

Na reunião desta quarta-feira (28) a Comissão recebeu o fundador e ex-presidente do MT Saúde Yuri Bastos Jorge, que esclareceu como se deu a criação do plano e de que forma ele funcionava. Yuri definiu a falta de gestão como a principal causa do caos em que o MT Saúde se encontra atualmente.

Leia também:  Estado e municípios identificam 57 ocorrências de incêndios florestais

A Comissão ainda vai definir a data em que será realizada a convocação do Conselheiro do Tribunal de Contas Waldir Teis que defendeu a criação do MT Saúde durante o período em que respondeu pelo comando da Secretaria de Saúde de Estado de Fazenda (SEFAZ).

A comissão deve convocar ainda o atual secretário de Administração César Zílio, o Ministério Público Estadual, o Sindicato dos Estabelecimentos de Saúde de Mato Grosso (Sindessmat), o Sindicato dos Médicos, Conselho Regional de Medicina, Auditoria Geral do Estado, além dos diversos sindicatos estaduais e todo e qualquer servidor público que possa contribuir com as investigações. A CPI tem um  prazo de 180 dias para realizar seus trabalhos.

Além do presidente da Comissão Deputado Walter Rabello (PSD) integram a CPI a deputada Luciane Bezerra (PSB) no cargo de vice-presidente, Emanuel Pinheiro (PR) na relatoria, Antonio Azambuja (PP) e Baiano Filho (PMDB) como membros titulares.

Leia também:  Ação conjunta entre MP, Ibama, PJC e PM Ambiental "desmancha" fazendas de gado e apreende madeira ilegal
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.