ARA Libertad deixa o porto de Gana, nesta quarta (19) (Foto: Gabriela Barnuevo/Ap)

O navio-escola ‘ARA Libertad’ da marinha argentina, retido em Gana desde 2 de outubro por causa de uma demanda de um fundo de investimento de 2001, zarpou nesta quarta-feira (19) do porto de Tema (leste de Accra) quatro dias depois de um tribunal da ONU ordenar sua liberação, informou a agência de notícias France Presse.

Uma delegação ganesa estava presente no cais do porto de Tema para ver o navio de guerra partir. Segundo o porta-voz da Autoridade Portuária, Lawrence Atumbine, o navio passou o dia se reabastecendo com combustível para atravessar o Atlântico.

Um grupo de 98 marinheiros chegou esta manhã a Gana, provenientes da Argentina, para completar a tripulação de 44 militares que permaneceram no navio sob as ordens do capitão, já que Buenos Aires tinha decidido repatriar 281 pessoas que participavam da viagem de instrução anual da ‘Libertad’.

Leia também:  Coreia do Norte lança míssil em território japonês e deixa Rússia com grande preocupação

“Agora (a fragata Libertad) será símbolo da soberania e a dignidade nacional contra os que querem atropelar a República Argentina”, disse a presidente Cristina Kirchner na terça-feira ao anunciar que a chegada do navio está prevista para 9 de janeiro em Mar del Plata – 400 km ao sul de Buenos Aires.

A demanda de US$ 370 milhões contra a Argentina foi apresentada pelo fundo NML Capital, com sede nas Ilhas Caimán, após se negar a entrar na troca da dívida pelo ‘default’ de quase US$ 100 bilhões registrado em 2001, reestruturação que teve o apoio de 93% dos detentores de títulos.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.