O navio Baltic Ace em foto não datada divulgada nesta quinta-feira (6) (Foto: Reuters)

Equipes holandesas de resgate continuam nesta quina-feira (6) as buscas por pessoas desaparecidas após o naufrágio da embarcação mercante “Baltic Ace” em águas do Mar do Norte, embora o Serviço de guarda-costeira tenha advertido que as possibilidades de encontrar as vítimas com vida são praticamente inexistentes.

A partir dessas informações, teme-se que o número de mortos possa chegar a 11, depois que quatro corpos foram encontrados sem vida.

Os serviços de resgate utilizam um avião, dois helicópteros e dois botes salva-vidas na operação, dificultada pelo mau tempo.

O cargueiro com bandeira das Bahamas naufragou na quarta-feira após colidir com outro navio, o “Corvus J”, quando se aproximava da costa holandesa, com 24 pessoas a bordo.

Leia também:  Águas de Harvey inundam alojamentos e números de mortos aumentam

13 pessoas foram resgatadas com vida logo após o acidente, 11 por um helicóptero belga e duas por embarcações que navegavam nas imediações.

O acidente aconteceu cerca de 100 km de Roterdã quando o “Baltic Ace”, que transportava automóveis, chocou com outro o “Corvus J”, de bandeira do Chipre e de propriedade alemã, que quase não sofreu danos.

Segundo fontes oficiais, as condições meteorológicas e a visibilidade eram boas, mas os navios não efetuaram a manobra para evitar a colisão a tempo.

O “Baltic Ace” ia rumo a Kotka (Finlândia) desde o porto belga de Zeebrugge, enquanto o “Corvus J” tinha partido da Escócia rumo a Antuérpia.

Com um comprimento de 148 metros, o “Baltic Ace” tem uma capacidade de 7.787 toneladas e é propriedade do armador grego Baltic Highway.

Leia também:  Mídia internacional repercute morte de turista espanhola na Rocinha
Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.