Destituído do poder há quase seis meses, o ex-presidente do Paraguai Fernando Lugo sinalizou ontem (12) que pretende disputar as eleições presidenciais no país, em abril de 2013. Em visita a Cochabamba, na Bolívia, Lugo indicou que conta com o apoio dos movimentos sociais e de alguns partidos políticos. Além disso, aliados buscam a adesão de 770 mil paraguaios que têm simpatia pelo ex-presidente.

“[É necessária] a articulação de movimentos sociais e partidos políticos de esquerda progressista para abrir um projeto conjunto no país e que Deus continue a nos abençoar e que possamos novamente capturar o poder “, disse Lugo. Ele disse, porém, que seus políticos estão “fechados”, por enquanto.

Leia também:  Furacão Maria mata 9 pessoas no Caribe e chega causando muita destruição em Porto Rico

Em 22 de junho, Lugo foi destituído do poder após a aprovação do impeachment pela Câmara e pelo Senado do Paraguai. Para os parlamentares paraguaios, Lugo foi condenado por irresponsabilidade política. Mas, para os presidentes sul-americanos, o processo rompeu com a ordem democrática.

Após a destituição de Lugo, o Paraguai foi suspenso do Mercosul e da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) até abril de 2013, quando haverá eleições gerais para presidente, governadores e parlamentares.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.