Cerca de 39,6 mil trabalhadores em Mato Grosso ainda não sacaram o abono salarial do exercício 2012/13, que totaliza aproximadamente R$ 25,884 milhões e corresponde a 15,3% da quantidade de pessoas com direito ao benefício no Estado. Os dados são do Ministério do Trabalho e Emprego e mostram que no país o volume que ainda não foi sacado soma R$ 1,198 bilhão e abrange 1,730 bilhão de pessoas.

São beneficiados os trabalhadores que tiveram os  dados informados na Rais e que tenham atendido aos seguintes  critérios: estar cadastrado no PIS/Pasep há pelo menos 5 anos; ter  trabalhado com carteira assinada ou ter sido nomeado efetivamente em  cargo público, durante pelo menos 30 dias no ano-base para empregadores  contribuintes do PIS/Pasep; e ter recebido em média até 2 salários  mínimos de remuneração mensal durante o período trabalhado.

Leia também:  Servidores do Detran-MT retomam parcialmente serviços após greve

Para os que vão receber a partir de janeiro, o benefício será maior, já que com o aumento no salário mínimo o abono também terá reajuste e passará de R$ 622 para R$ 678. Em todo o país, segundo dados do ministério, foram identificados cerca de 20,733 milhões de pessoas com direito a receber o valor, sendo que cerca de R$ 11,5 bilhões já foram pagos, com recursos provenientes do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). A taxa de cobertura até o último dia 20 ficou em 90,52%. O exercício financeiro 2012/2013 do abono salarial teve início em 1o de julho deste ano e se encerrará em 28 de junho de 2013.

Leia também:  Disponível o gabarito do concurso para apoio administrativo da Seduc

A professora Cristina Rossi, 30, é uma das trabalhadoras que foi beneficiada. Ela faz aniversário em outubro e sacou o valor em setembro. “Acho gratificante receber um valor anualmente pelo trabalho prestado. Veio em boa hora, pois pude pagar algumas contas e ainda sobrou para auxiliar na ceia de Natal”. Já o vendedor Paulo Rodrigues Barbosa, 37, há quase 7 anos não recebe o PIS por ganhar mais que 2 salários mínimos mensalmente. “Acho injusto porque devemos ter os mesmos direitos que os trabalhadores que ganham menos, afinal todos nós somos empregados. Mesmo que fosse R$ 622 seria bem vindo”.

Advertisements

Comentários

*Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.